Piauienses articulam movimento para forçar votação da PEC 300

Os parlamentares pretendem triplicar a comitiva piauiense de apoio à Proposta, que tramita na Câmara Federal.

Os policiais civis e militares do Piauí já articulam um forte movimento de reação à paralisação da votação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 300, que propõe um piso de R$ 3.500 para militares em início de carreira e R$ 7 mil para tenentes. A plenária realizada na última terça-feira em Brasília contou com quatro representantes piauienses e decidiu realizar no próximo dia 6 o maior movimento a favor da PEC 300 na capital federal.

Os parlamentares pretendem triplicar a comitiva piauiense de apoio à Proposta, que tramita na Câmara Federal. De acordo com o deputado federal Elizeu Aguiar (PTB), o objetivo é chamar atenção para a luta salarial da categoria. ?Não pretendemos radicalizar, mas se a votação não acontecer, os policiais civis já apontaram para possibilidade de greve e os militares para o aquartelamento?, adianta.

Caso o movimento do dia 6 não pressione a Casa para que a os últimos quatro destaques da PEC 300 sejam colocados em votação, uma nova manifestação já está marcada para o dia 20 em todas as capitais brasileiras, in- cluindo Teresina. ?Estarei organizando essa ação com os vereadores R. Silva (PP) e Edvaldo Marques (PSB), falta apenas definir o local?, revela Elizeu, acrescentando que o ?sentimento? da Câmara é de aprovação. ?Não estamos distante de um entendimento?, conclui. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte