PMDB ainda busca a vaga de vice-governador

“O PMDB é um partido grande, mas tivemos manifestações de alguns líderes no sentido da vice”, disse Castro

O ex-governador Wellington Dias (PT) acredita em uma dobradinha com o deputado federal Marcelo Castro (PMDB) para o Senado, mas o peemedebista ressalta que a decisão do partido ainda está longe de ser tomada e o sentimento da maioria dos integrantes ainda aponta para a preferência na vaga de vice. ?O PMDB é um partido grande, mas tivemos manifestações de alguns líderes no sentido da vice?, disse.

Castro destacou que não irá tomar um posicionamento precipitado. ?Vamos agir dentro de um tempo razoável, sem urgência?, pontuou. Os elogios do ex-governador, colocando a chapa Dias-Castro como a de maior chance para eleger dois senadores governistas, são observados pelo deputado como resultado da afinidade entre ele e Wellington no período em que o petista comandou o Palácio de Karnak.

O deputado estadual Warton Santos (PMDB) reiterou que não existe possibilidade de acordo com a base aliada se o partido não for acomodado com a posição de vice-governador na chapa majoritária. Com apenas quatro vagas na base aliada, sendo duas já ocupadas, respectivamente, por Wellington Dias no Senado e o governador Wilson Martins (PSB) como cabeça de chapa, restam somente duas posições para serem distribuídas entre os membros do bloco.

?É inadmissível que um partido como o PMDB, com mais de 40 prefeitos e a maior bancada da Assembléia Legislativa, não seja contemplado na chapa majoritária com a vaga de vice. É uma reivindicação justa?, enfatizou Warton. O deputado deixou claro que a cadeira de senador não interessa a legenda, que teria que concorrer com três pesos pesados: Wellington Dias, e os senadores Heráclito Fortes (DEM) e Mão Santa (PSC), que buscam a reeleição. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte