PMDB e PSDB lideram lista com os candidatos mais ricos a governador

São 29 peemedebistas que buscam se eleger para estes cargos e cujas fortunas somadas passam de R$ 1 bilhão

O PMDB concentra os candidatos mais riscos do País na corrida pelos governos estaduais e Senado, de acordo com as informações fornecidas pelos partidos à Justiça Eleitoral. São 29 peemedebistas que buscam se eleger para estes cargos e cujas fortunas somadas passam de R$ 1 bilhão, que representa um patrimônio médio de R$ 36,5 milhões para cada um.

O PMDB é o maior aliado do governo federal no Congresso, mas o papel de coadjuvante que a legenda ocupa há anos parece ser motivo de desgaste entre os correligionários. Na convenção que decidiu os rumos nacionais do partido no mês passado, 41% dos filiados defenderam o fim da aliança com o Partido dos Trabalhadores. Neste ano, eles pretendem gastar até R$ 812,2 milhões para eleger 19 governadores e 10 senadores. Em 2010, o partido ficou ao lado do PT até em número de governos conquistados: cinco, mas atrás ainda de partidos como o PSB (seis) e PSDB (oito).

Em segundo lugar na lista de partidos com os candidatos mais ricos aparece o maior opositor do governo federal atual: o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). O patrimônio médio dos 20 candidatos é de R$ 23,9 milhões. Para eleger 12 governadores e oito senadores, o partido pretende gastar até R$ 416,2 milhões para manter a liderança no número de Estados comandados no País, além das 12 cadeiras que ocupa no Senado. A cereja do bolo tucano nestas eleições é reeleger Geraldo Alckmin em São Paulo, o maior domicílio eleitoral do País, com previsão de gastar até R$ 90 milhões na campanha paulista.

Já o Democratas é o terceiro partido cujos candidatos possuem o maior patrimônio na corrida por dois governos estaduais e sete vagas ao Senado. Os nove postulantes possuem patrimônio médio de R$ 8,9 milhões (R$ 80,7 milhões somado) e pretendem gastar até R$ 108 milhões nestas eleições para eleger governadores no Acre e na Bahia, além de mais sete nomes ao Senado. Em 2010 o partido conquistou dois governos estaduais com Rosalba Ciarli, no Rio Grande do Norte, e Raimundo Colombo, em Santa Catarina.

Com o maior número de candidatos aos governos estaduais e Senado - 49 postulantes -, os nomes do Psol aparecem em 22º lugar na lista daqueles que possuem o maior patrimônio médio R$ 249,4 mil, que somado chega e R$ 12,2 milhões.

Fonte: Terra