PMDB se divide sobre candidatura de Castro

Castro rebateu Warton e classificou as afirmações do deputado como “infelizes, extemporâneas e impertinentes”

As declarações do deputado estadual Warton Santos (PMDB) descartando a candidatura do deputado federal Marcelo Castro à governador lançaram luz sobre a desistência do peemedebista na corrida rumo ao comando do Palácio de Karnak. Incomodado, Castro rebateu Warton e classificou as afirmações do deputado como ?infelizes, extemporâneas e impertinentes?, enfatizando que apenas o partido tem poder de decidir a continuação da candidatura própria.

?Já estamos com nossa candidatura há tanto tempo e o prazo para a definição do nome que representará a base aliada está para acabar. Será que ele não podia aguentar alguns dias?? questionou. O parlamentar argumentou ainda que, se não for escolhido como cabeça de chapa, tentará a reeleição na Câmara Federal. ?Não trabalho para ser vice?, enfatizou.

O PMDB realizará uma reunião na próxima segunda-feira, 01, onde tratará da sucessão estadual. Além de Warton, o deputado estadual Themístocles Sampaio (PMDB) já havia destacado que, se a sigla não viabilizar um candidato a governador dentro do bloco governista, baterá o martelo na indicação de vice. O ex-ministro João Henrique Sousa reconheceu hoje que Marcelo Castro está ?desmotivado?. ?Faz um tempo que ele se dedica mais à defesa do pré-sal do que à pré-candidatura?, disse.

De acordo com Castro, as reuniões do partido são normais e não terão uma pauta definida, porém a declaração de membros do partido serão analisadas. ?Se o PMDB disser que não quer mais trabalhar minha candidatura, eu a retiro. Mas essa não é minha disposição nem o que sinto do partido?, justifica.

Cobiçado por governistas e oposicionistas para indicar o vice e considerado o fiel da balança das eleições de outubro, o PMDB já teria o nome que poderá assumir a função: Themístocles Filho. Dividido entre a base e a oposição, a sigla permanecia unida na defesa da candidatura de Marcelo Castro, que entre os quatro pré-candidatos da base aliada é o que mantém menor índice de intenções de voto nas pesquisas. Com o posicionamento público de peemedebistas assumindo que não trabalham mais o nome de Castro, e a reafirmação do pré-candidato de que mantém sua candidatura, o partido racha mais uma vez antes mesmo da escolha do caminho político que seguirá este ano. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte