Políticos estão chocados com morte de Zilda

Políticos estão chocados com morte de Zilda

Parlamentares de Brasília estão surpresos e chocados com morte de Zilda Arns

Ainda com poucas informações sobre a situação no Haiti, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu nesta quarta-feira (13) com os ministros da Defesa, Nelson Jobim, das Relações Exteriores, Celso Amorim, e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Jorge Félix, para determinar todos os esforços para ajudar os brasileiros naquele país e o povo haitiano. A reunião durou pouco mais de uma hora e Lula lamentou a morte da coordenadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns.

?O presidente está chocado e lamentou muito pela Zilda Arns. É uma grande perda. Ela era uma pessoa extraordinária?, disse Amorim ao sair do encontro com o presidente.

Além da sala de situação criada no Itamaraty, o governo criou também um gabinete de crise focado na defesa civil que será comandado pelo ministro do GSI, general Jorge Félix.

O ministro de Relações Exteriores confirmou também que uma missão brasileira chefiada por Jobim parte do Brasil em direção ao Haiti no final desta manhã. Contudo, o pouso na capital haitiana, Porto Príncipe, ainda depende de uma avaliação estrutural da pista do aeroporto. A missão fará uma escala em Boa Vista (RR) e levará técnicos da Defesa Civil e da saúde.

Segundo Amorim, a mulher do embaixador Igor Kipman, representante brasileiro no Haiti, Roseana Kipman, foi quem constatou a morte de Zilda Arns. O sobrinho dela, o senador Flávio Arns (PSDB-PR), embarcará junto com a missão brasileira.

Amorim disse ainda que a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), que abrigava o comando da missão brasileira de paz naquele país, a Minustad, foi completamente destruída. ?As comunicações estão muito difíceis e temos poucas informações, mas sabemos que o prédio da ONU, que abrigava a Minustad, foi completamente destruído?.

O presidente determinou que sejam feitos todos os esforços para ajudar o povo haitiano. ?O presidente determinou todos os esforços e disponibilizou o orçamento do ano inteiro do Itamaraty para o Haiti para atender as vítimas dessa tragédia. Como será a aplicação desses recursos de pouco mais de US$ 10 milhões será definido com o passar do tempo, porque temos muito poucas informações do que é preciso nesse momento?, explicou Amorim.

Amorim disse que fará contatos com a ONU durante o dia para decidir que tipo de ajuda humanitária pode ser prestada e qual a melhor logística para isso. Além disso, o Brasil vai reforçar seu contingente na embaixada da República Dominicana para atender as vítimas brasileiras do terremoto.

Fonte: g1, www.g1.com.br