Por telefone, Obama convida Dilma para visitar os EUA

A transição de governo será tratada após viagem de Dilma, disse assessor

O assessor da Presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, afirmou nesta segunda-feira (1º) que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, telefonou para a presidente eleita do Brasl, Dilma Rousseff, para parabenizá-la e desejar boa sorte em seu governo.

Segundo o assessor, Obama ainda convidou Dilma para visitar os Estados Unidos e manifestou interesse em dar continuidade a projetos estratégicos com governo brasileiro, como os estabelecidos na área energética.

Marco Aurélio Garcia também revelou que a presidente eleita recebeu ligações do presidente da França, Nicolas Sarkozy, do presidente da Venezuela, Hugo Chavéz, do presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, do presidente do México, Felipe Calderón, e do presidente do Chile, Sebastián Piñera. Chavez postou em seu twitter que seguirá "construindo a unidade Brasil-Venezuela".

Mais cedo, o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, também felicitou Dilma, por sua vitória nas eleições, disse o ministro da Justiça e do Trabalho do país vizinho, Humberto Blasco.

O presidente da Bulgária, Georgi Parvanov, convidou nesta segunda-feira a presidente eleita do Brasil a visitar o país europeu, terra de origem do pai dela.

O pai de Dilma, Petar Roussev, deixou a Bulgária em 1929 e inicialmente migrou para a França, depois para a Argentina e, por fim, se instalou no Brasil com o nome de Pedro Rousseff. A família que ficou para trás, incluindo sua esposa grávida, acreditava que ele havia morrido.

O assessor especial confirmou que Dilma deve viajar nesta terça-feira (2), para um período de descanso. Dilma deve viajar para Porto Alegre (RS) nos próximos dias, para descansar e ficar com a família. Não há previsão de pronunciamento de Dilma nesta segunda-feira, segundo assessores.

Questionado sobre como será a transição de governo, Marco Aurélio disse que ainda não tem informação sobre o processo, mas o assunto será tratado assim que Dilma retornar da viagem. Ainda não há uma data definida para tratar da transição, mas é provável que uma reunião ocorra na sexta-feira (5) para discutir o tema.

Na próxima semana, Dilma deve viajar para Moçambique, na África, e para Seul, na Coreia do Sul, onde participa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de reunião do G-20.

Fonte: g1, www.g1.com.br