"Praticamente não fizemos licitações", revela secretário de Educação

Com as dificuldades enfrentadas nos últimos meses pelo Estado do Piauí, os servidores públicos demonstram preocupação quanto ao pagamento dos salários.

Com as dificuldades enfrentadas nos últimos meses pelo Estado do Piauí, os servidores públicos demonstram preocupação quanto ao pagamento dos salários.

Em entrevista ao Jornal Meio Norte, o secretário de Educação, Alano Dourado, procurou tranquilizá-los e revelou os esforços realizados para cumprir com as obrigações. "Não há por que os funcionários temerem. Nós praticamente não fizemos licitações, com relação às obras fizemos apenas 5 licitações em casos extremamente graves", disse.

Em relação a obras, cerca de 400 estão em andamento, porém Dourado indicou que todas são uma herança dos governos anteriores. O que nós fizemos foi focar nas 400 obras já existentes da Secretaria de Educação. A gente teve toda a cautela e tem um número muito pequeno de licitações, procuramos analisar onde realmente precisava ser feito", sintetizou.

O secretário apontou que a área sofre com a grande demanda e os recursos escassos, ampliando a necessidade de que todos os passos sejam dados com cautela. "Acontece que nós temos uma situação de demanda enorme, e por essa questão de economia, recursos limitados, necessidades limitadas", impôs.

Ainda no sentido das verbas destinadas à educação, Dourado apontou que o FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) repassa R$ 50 milhões, mas as dotações acabam sendo insuficientes.

"Pra você ter uma ideia, a educação recebe R$ 50 milhões do FUNDEB e tem uma folha de mais de R$ 60 milhões, então só para o pagamento da folha, nós demandamos R$ 15 milhões por mês e para manter a estrutura mínima da Secretaria são mais R$ 10 milhões do Tesouro", complementou.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Francy Teixeira