Prefeito cassado quer entrar com ação contra segunda colocada

Jurandir alega que Jandira está impedida pela legislação eleitoral de assumir a Prefeitura

O prefeito de Santa Cruz do Piauí, Jurandir Martins (PTB), afirmou ontem que sua cassação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI) realizada na última terça-feira, foi fruto de uma decisão ?política e não jurídica?. Ele destaca ainda que irá entrar com um recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para se manter no cargo e, caso seja afastado, entrará com uma nova ação contra a candidata derrotada no pleito municipal de 2008, Jandira Nunes Martins (PSB).

Jurandir alega que Jandira está impedida pela legislação eleitoral de assumir a Prefeitura, já que o pai da candidata, o atual secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Rubens Martins, exerceu o cargo de prefeito do município de Wall Ferraz entre 2000 e 2008. ?Ela é inelegível, pois estaria exercendo um terceiro mandato. A Justiça impede que parentes de primeiro grau concorram a mandatos consecutivos?, explicou o prefeito ao Jornal Meio Norte.

Ele é acusado de abuso de poder econômico e conduta vedada e, além de perder o cargo, também teve os direitos políticos cassados por oito anos. A Corte determinou que a segunda colocada tome posse no lugar de Jurandir. No parecer do MPE-PI, que pedia a cassação, o prefeito era acusado de ter distribuído mil cestas básicas na cidade que possui menos de 6 mil habitantes. Jurandir já havia sido jugado e absolvido no primeiro julgamento.

?Eu distribuí as cestas básicas em abril de 2008 porque havia um decreto do ex-governador Wellington Dias (PT) colocando o município em estado de calamidade. A população perdeu suas lavouras durante as cheias do rio Itaim e não fiz distinção de partido?, explicou Jurandir, acrescentando que continua no cargo. ?A população pode ficar tranquila, não irei cruzar os braços. Se eu for afastado irei lutar por novas eleições no município?, frisou. (S.B.)

-

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte