Prefeitura abre licitação para comprar 32 mil espumantes a escolas

A bebida estava incluída na compra de alimentos para escolas.

O Ministério Público do Rio Grande do Sul pediu explicações à Prefeitura de São Francisco de Assis, na Região Central, sobre a abertura de uma licitação para aquisição de 32,4 mil garrafas de espumantes. A bebida estava incluída na compra de alimentos que seriam destinados a creches e escolas municipais.

Entre os 234 itens da licitação, chama a atenção a aquisição de 2,7 mil caixas com 12 unidades de espumante. No entanto, a licitação foi aberta para a compra de gêneros alimentícios. A cidade tem pouco mais de 19 mil habitantes. Ou seja, se cada morador ganhasse um espumante, ainda sobrariam 13 mil garrafas.

O edital é específico quanto aos tipos de espumantes solicitados: um lote seria de Carta Nevada, importado da Espanha, "com envelhecimento de 12 meses em barricas de carvalho". O outro seria de Rosé Brut, e teria de "harmonizar com carnes, arroz e massa". Além disso, os espumantes devem ser de origem espanhola.

O prefeito da cidade, Horácio Brasil, diz que os espumantes foram incluídos por engano na lista, e que uma investigação interna foi aberta para identificar como isso aconteceu. As bebidas deverão ser retiradas do certame.

"Com certeza algum funcionário colocou esse pedido, mas jamais na minha intenção", afirma o prefeito Horácio Brasil. "Acredito que não perceberam, porque não deveriam ter colocado essa quantidade. No meu ver, isso é exorbitante e eu não aceito", analisa.

Moradores criticaram a licitação. "O município num estado de calamidade, declarado estado de emergência eles licitando para fazer compra dessas", reclama o empresário Sérgio Garcia.

Champanhe foi solicitado em edital (Crédito: Reprodução)
Espumantes foram solicitados em edital (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1