Prefeitura investiu R$ 79 mil em reparos a danos no Lagoas do Norte

O valor gasto para recuperar danos ao patrimônio é maior

No período de 2014 a maio de 2015 a Prefeitura de Teresina investiu R$ 79.540,09 para recuperar danos ao patrimônio público no Parque Lagoas do Norte, localizado na zona Norte da capital. Hoje (19) técnicos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), acompanhados pela equipe do Programa Lagoas do Norte, trabalham na reinstalação de 1.200 metros de fiação elétrica de 50 postes da região do Parque, entre as ruas Canindé e Jim Borralho, furtados no início da semana.


Image title

O gerente do Programa Lagoas do Norte, Jorgenei Moraes, explica que o furto foi verificado quando técnicos do Programa Lagoas do Norte observaram que a falha na iluminação pública da região não era causada por lâmpadas queimadas, mas pela ausência da fiação. “Fazemos manutenção periódica nos serviços de iluminação e constatamos o furto da fiação, já comunicado às autoridades policiais. Felizmente, dessa vez, as residências não foram afetadas e os moradores estão sofreram a falta de energia elétrica em seus lares. Estamos repondo toda a fiação, mas é necessário que a comunidade se aproprie do Parque Lagoas do Norte e nos ajude na prevenção e combate ao vandalismo”, declarou.

Segundo Erick Amorim, coordenador do Programa Lagoas do Norte, o valor de R$ 79.540,09, gastos do início de 2014 a maio de 2015, foi investido em manutenção de calçadas, playgrounds, quadras, bancos, banheiros, postes, academias, quiosques, bebedouros, vidraças, grades de proteção e cabos de energia, entre outros.

“Na verdade, o valor gasto para recuperar danos ao patrimônio público no Parque Lagoas do Norte é maior, porque nos deparamos com situações de depredação desde o início do Programa, inclusive quando o Parque ainda estava em construção. O vandalismo é muito caro, porque gastamos com recuperação de danos o que poderia ser investido em melhoria para a própria sociedade. Muitos moradores do entorno do Parque nos auxiliam, atuando na prevenção e nos comunicando quando os danos ocorrem, mas é necessária uma maior participação popular, uma consciência de que o bem público é um bem coletivo e que cada um de nós, como cidadãos, temos o dever de preservar”, encerrou Erick Amorim. 


Fonte: Com informações do Portal PMT