Presidenta consultou Lula antes de substituir ministro da Defesa

Ex-presidente diz que Amorim continuará o trabalho de Jobim.

A decisão da presidente Dilma Rousseff de trocar Nelson Jobim por Celso Amorim, na pasta da Defesa, foi acompanhada de perto e discutida com o ex-presidente Lula. O tema vinha sendo tratado por Lula desde a última semana depois das declarações de Jobim sobre o voto em José Serra em 2010.



Na quinta-feira, dia em que substituiu o ministro, Dilma conversou com Lula, que havia intercedido em dezembro pela permanência de Jobim na Defesa. À época, Dilma já cogitava o nome de Amorim para o cargo.

Segundo pessoas próximas a Lula, o ex-presidente concordou que a situação havia atingido o limite e que a permanência do gaúcho no cargo era "insustentável". No entanto, até a noite de quarta-feira, quando Dilma e Jobim tiveram uma conversa no Planalto em que ele explicou a declaração de voto em Serra, Lula defendia que ainda havia espaço para a permanência do peemedebista.

Havia alguns dias que o ex-deputado José Genoino (PT), assessor da Defesa desde janeiro, intercedia por Jobim. Ele conversou com Lula em Brasília: chegaram no mesmo carro à inauguração da Embaixada da Argentina no dia 29. Genoino também visitou Dilma no Alvorada.

A revelação de que Jobim criticou as duas ministras de Dilma em entrevista à revista "Piauí" definiu a troca. Depois da conversa com Dilma, Lula entrou em contato com Amorim, com quem sempre teve relação próxima.

O primeiro conselho foi para que ele "conversasse muito" com a cúpula das Forças Armadas. O mesmo que fez Dilma, que se reuniu com os comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica ontem mesmo, no Alvorada, antes de voar para a Bahia.

Fonte: Folha.com