Dilma Rousseff diz que Lupi só fica se explicar acúmulo de empregos

Dilma Rousseff diz que Lupi só fica se explicar acúmulo de empregos

Lupi se reuniu ontem com Dilma no Palácio do Planalto.

A presidente Dilma Rousseff disse ontem ao ministro Carlos Lupi (Trabalho) que a única chance de ele permanecer no cargo até a reforma ministerial é fornecer explicações "convincentes" sobre o fato de ter ocupado, simultaneamente, dois cargos públicos por quase cinco anos.

O acúmulo ilegal, na Câmara dos Deputados em Brasília e na Câmara Municipal do Rio, foi revelado pelo jornal Folha de S. Paulo ontem e resgatou no governo a disposição de vê-lo fora da Esplanada. Lupi se reuniu ontem com Dilma no Palácio do Planalto para falar sobre a recomendação da Comissão de Ética de exonerá-lo, decisão que irritou a presidente.

Antes da reunião, ele disse a assessores em tom de brincadeira: "Estou pronto para voltar para casa".

Carlos Lupi saiu da conversa ainda ministro, mas com a determinação de se defender não só da questão do duplo emprego, mas também da recomendação da Comissão.

No governo, espera-se uma definição até o início da próxima semana. Dilma retorna de uma viagem à Venezuela no domingo, quando voltará a tratar do assunto.

"O ministro esteve aqui e disse que vai oficiar à Comissão de Ética pedindo os elementos da decisão, acho que inclusive a ata, para recorrer", afirmou Helena Chagas (Comunicação Social).

Interlocutores de Dilma avaliavam ontem que a revelação sobre o duplo emprego era mais problemática que a recomendação da Comissão.

Na Câmara dos Deputados, a reportagem levou à abertura de uma sindicância para apurar o acúmulo de funções públicas.

Na pior das hipóteses, o procedimento resultará na devolução do dinheiro recebido por ele no período.

Mas, politicamente, é uma demonstração de perda de apoio do pedetista.

Além de opositores do governo, que pediram ao Ministério Público para abrir uma ação civil pública e uma ação penal contra o ministro, pedetistas também disseram que a situação de Lupi piorou com a revelação do duplo emprego público.

Fonte: Folha.com