Presidente da Câmara anuncia a votação  para o fim do voto secreto

Presidente da Câmara anuncia a votação para o fim do voto secreto

Henrique Alves disse que vai pautar a PEC votada em primeiro turno em 2006 e que prevê voto aberto para perda de mandato e também pra apreciação

Um dia após o ministro Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) suspender a votação que manteve o mandato de Natan Donadon (sem partido-RO), o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), anunciou que vai colocar em pauta uma das Propostas de Emenda Constitucional (PECs) do Voto Aberto que tramitam na Casa.

Em reunião de líderes, a maioria concordou com a votação da proposta hoje. A emenda que será pautada por Henrique Alves abre o voto em todas as decisões do Parlamento e foi avaliada em primeiro turno em 2006, como resposta da Casa ao envolvimento de deputados no esquema do mensalão.

Avaaz cria petição por aprovação de PEC do voto aberto

Projeto sobre fim do voto secreto está engavetado há sete anos

De lá até agora, a PEC estava engavetada porque não havia consenso entre os líderes, inclusive de oposição, de abrir o voto secreto em todas as votações, inclusive em caso de veto presidencial. Henrique irá avisar aos líderes partidários que a PEc será pautada e cada bancada irá se posicionar sobre o tema. Embora mais ampla que a outra emenda constitucional ? que acaba com o voto aberto apenas para casos de cassação do mandato ? essa PEC ainda não passou pelo Senado e irá demorar mais para ser aprovada no Congresso Nacional.

Na reunião de líderes, o PSDB levantou essa questão de votar a proposta que está mais adiantada, suspeitando alguma manobra. Henrique respondeu que a aprovação de uma não prejudicará a outra, que as duas podem tramitar juntas, que ele não vai declarar prejudicialidade da que já foi aprovada pelo Senado se a Câmara votar hoje a PEC 349.

Segundo o presidente da Câmara, a outra PEC do voto aberto, é mais restrita porque abre o voto apenas em casos de cassação de mandato parlamentar, está na comissão especial e permanece sem avanços. A comissão especial foi instalada só depois que Henrique Alves indicou alguns deputados de ofício, mas, enfatizou Henrique, até agora comissão ainda não se reuniu para decidir sobre o caso, o que atrasa a deliberação.

? Vou pautar a PEC do Voto aberto que já foi votada em primeiro turno e cada um que se posicione. Quem quiser alterar, pode apresentar emenda supressiva. A outra está na comissão especial, que não está se reunindo ? disse o presidente da Câmara.

Henrique Alves também confirmou que irá aguardar a decisão do pleno do STF sobre a liminar que suspendeu a votação do mandato de Donadon. Ele informou que conversou com o presidente do Supremo, ministro Joaquim Barbosa, que prometeu colocar o caso em votação já na próxima semana.

A PEC mais restrita já foi aprovada no Senado, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e está, neste momento, sendo discutida na comissão especial de mérito. Na Câmara, mesmo a PEC do Voto Aberto apenas para os casos de cassação encontra resistências por parte de alguns líderes partidários. Por isso, Henrique Eduardo Alves foi obrigado a indicar de ofício vários integrantes da comissão especial desta PEC, porque alguns líderes não tinham feito a indicação, entre eles os do PT, José Guimarães (CE) e do PMDB, Eduardo Cunha (RJ).

O líder do PMDB defende que o voto seja aberto apenas nos casos em que o parlamentar é condenado em sentença criminal definitiva. Para ele, o melhor seria o Congresso votar logo a PEC do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que determina a perda automática do mandato em caso condenação definitiva do parlamentar.

Ontem à noite, sob o argumento de que é preciso desmascarar o discurso demagógico de que o PT ajudou para não cassar o deputado preso Natan Donadon (RO), o líder do PT na Câmara avisou que defenderia, na reunião do colégio de líderes partidários, a votação imediata da PEC que abre o voto em qualquer tipo de votação no Congresso, nas Assembleias Legislativas e na Câmara dos Vereadores.

? Vou defender hoje, na reunião do colégio de líderes, a votação do voto aberto para todas as votações, a PEC 349 que já foi votada em primeiro turno na Câmara. Vou sugerir votar imediatamente o segundo turno. É o melhor caminho para desmascarar aqueles que acusam o PT de tudo, para enfrentar esse debate demagógico. O voto secreto em alguns casos foi uma conquista da democracia, mas vou sugerir radicalizar e abrir o voto para tudo ? disse Guimarães, acrescentando:

? Vamos fazer a batalha política, ainda vou submeter à bancada, mas um líder sabe o sentimento. Chegou a hora da onça beber água. Vamos avançar na direção para além do Donadon.

Fonte: O Globo