Presidente da OAB diz que novo governador do DF deve fazer auditoria em contratos

O peemedebista assume a vaga do ex-governador José Roberto Arruda

O presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Cavalcante, sugeriu ao governador eleito do Distrito Federal, Rogério Rosso (PMDB), que promova uma auditoria nos contratos do governo e publique na internet as contas do governo. Rosso foi eleito em eleição indireta realizada Neste sábado, e recebeu votos de 13 dos 24 deputados distritais.

Confira também

- Embora não conheça o governador eleito, sua história política, ligada aos ex-governadores Roriz e Arruda, lhe impõe, para que possa ter a seu lado pelo menos o benefício da dúvida, que promova uma auditoria nas contas e contratos hoje existentes no GDF, colocando os gastos do governo na internet em tempo real, a fim de que a sociedade de Brasília saiba o que foi feito com os seus impostos e passe a acompanhar o que será feito.

Rosso, eleito pela Câmara Distrital para um mandato até o fim deste ano, foi presidente da Codeplan (Companhia de Planejamento do DF) na gestão de José Roberto Arruda (sem partido), cassado em março pela Justiça Eleitoral por infidelidade partidária em meio ao escândalo de corrupção de Brasília. Já foi também aliado do ex-governador Joaquim Roriz.

Antes da votação, cerca de 200 manifestantes contrários à eleição indireta fizeram um protesto, e alguns entraram em confronto com policiais militares em frente à Câmara, e pelo menos três pessoas ficaram feridas.

A eleição indireta foi convocada depois que o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) cassou o mandato de Arruda por infidelidade partidária. Arruda deixou o DEM depois que foi citado como o mandatário de um suposto esquema de pagamento de propina dentro do governo do DF.

A eleição foi alvo de diversas criticas inclusive do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que questionou a legitimidade da participação dos deputados investigados no pleito. Gurgel foi quem apresentou ao STF (Supremo Tribunal Federal) o pedido de intervenção federal no DF.

Fonte: R7, www.r7.com