Presidente Dilma diz que redução do tumor de Lula em 75% é "mensagem" para doentes

Presidente Dilma diz que redução do tumor de Lula em 75% é "mensagem" para doentes

A equipe médica de Lula anunciou que o tumor já reduziu 75% desde o início da quimioterapia.

A presidente da República, Dilma Rousseff, disse nesta terça-feira (13) que está feliz com o resultado do tratamento a que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está se submetendo contra um câncer na laringe. Para ela, a recuperação é uma "mensagem" para quem enfrenta a doença.

Na segunda-feira, a equipe médica de Lula anunciou que o tumor já reduziu 75% desde o início da quimioterapia. Ele está internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde faz a terceira etapa de do tratamento.

"Isso é uma mensagem para todas as pessoas que passam por essa doença: é que ela [câncer] é derrotável, ela é cada vez mais derrotável, ou seja, cada vez mais você pode superá-la. Eu sou um caso, o presidente Lula é um caso e tem tantas outras pessoas", disse a presidente em conversa com jornalistas em Porto Alegre, após cerimônia de entrega de retroescavadeiras a prefeituras gaúchas e de lançamento do programa Rede Brasil Rural.

A presidente disse ter conversado nesta segunda com Lula, que estava, segundo relatou, "muito feliz". "Ninguém esperava que fosse tão bom o resultado", disse.

"Sabemos que o presidente tem uma característica que é fundamental quando se fala em doença. O presidente é uma pessoa que tem um otimismo fantástico e é também uma pessoa que tem toda uma trajetória de desafios e que sempre foi capaz de superá-los", afirmou.

Eleições municipais

Questionada por jornalistas se apoiaria algum candidato às eleições municipais de Porto Alegre, a presidente preferiu se esquivar e disse estar "inclinada" a não opinar sobre o assunto.

"Estou cada vez mais inclinada a não participar de eleições quando a minha base está envolvida. Eu tenho de ter responsabilidade com o país. Eu posso ter até aqui dentro, mas aqui dentro é uma coisa. Você está falando como presidenta. Como presidenta não".

Fonte: G1