Presidente do PPS ironiza declaração de Lula

O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), desistiu de sua candidatura à Presidência em favor do governador de São Paulo

O presidente nacional do PPS, Roberto Freire, ironizou nesta terça-feira a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que uma chapa puro sangue no PSDB, reunindo dois craques, pode ser prejudicial para o desempenho da oposição, afirmando que o PT tem uma "perna de pau".

O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), desistiu de sua candidatura à Presidência em favor do governador de São Paulo, José Serra (PSDB). Os tucanos querem, no entanto, que ele seja o vice de Serra, ideia que vem sendo recusada pelo mineiro.

"Importante é que ele [Lula] já reconheceu que nós temos dois craques, enquanto eles têm uma perna de pau", disse Freire. A pré-candidata petista ao Planalto é a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil).

Ontem e hoje, Lula questionou a possível chapa puro sangue no PSDB e a comparou com um time de futebol. "Não sei. Eu acho que num time de futebol... não sei se dois coutinhos, se dois tostões, se dois Dirceus Lopes dariam certo no mesmo time. Não sei. Às vezes, é preciso fazer uma composição diferenciada para poder dar certo, então... mas aí o PSDB que decide."

Segundo o presidente do PPS, este é o momento de fazer esforços para concretizar a chapa Serra-Aécio. Na opinião dele, com essa chapa, a oposição atrairá apoio de muitos partidos, inclusive os que atualmente fazem parte da base de apoio do governo Lula. "A união dos dois governadores causa pesadelos ao Palácio do Planalto."

Freire afirmou ainda que a mobilização para viabilizar "a junção dos dois craques" na eleição de 2010 depende de "cada militante, dos diretórios municipais, regionais e nacionais, além de organizações de oposição".

Ele apelou "aos companheiros [do PPS] de Minas Gerais, que defenderam com afinco a candidatura de Aécio a presidente, para que continuem a defender a chapa de oposição; que não esmoreçam porque o governador [de Minas] não encabeçará a chapa".

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br