Presidente dos EUA, Barack Obama vem ao Brasil em março

Presidente dos EUA, Barack Obama vem ao Brasil em março

Tais divergências foram apontadas como motivo do adiamento da visita de Obama ao Brasil

A primeira visita oficial do presidente Barack Obama ao Brasil, marcada para março deste ano, servirá para deixar para trás as tensões entre os dois países nos últimos dois anos. Essa é a opinião de analistas ouvidos pelo UOL. Os dois governos, dos EUA e do Brasil, divergiram em questões como o programa nuclear do Irã, a crise provocada pela deposição do presidente de Honduras, Manuel Zelaya, e acordo militar entre Estados Unidos e Colômbia, desaprovado pelo Brasil.

Tais divergências foram apontadas como motivo do adiamento da visita de Obama ao Brasil, esperada para acontecer em 2010, ainda no governo do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. No entanto, para o professor da UNB e cientista político João Paulo Peixoto, o fato de a visita não ter ocorrido tem explicação.

"O ano passado foi ano eleitoral no Brasil e a vinda de Obama poderia ser confundida com um ato eleitoral. Agora, a mudança de postura desse governo e do Itamaraty em algumas questões [como a de votar contra as sanções da ONU contra o programa nuclear iraniano] criaram um clima mais propício para a visita?, diz.

Além do Brasil, Obama visitará, também em março, o Chile e El Salvador. Para Peixoto, a escolha desses países dará destaque ao Brasil, que será o grande evento durante a visita do norte-americano. No entanto, ele não acredita que os países tenham sido escolhidos por uma questão política. ?O fato de Obama não visitar outros países e economias importantes da região não quer dizer nada, não é um recado a esses outros países. Acredito que seja apenas uma questão de agenda e logística?, diz o professor.

Para Reginaldo Nasser, professor de Relações Internacionais da PUC-SP, dois pontos são cruciais na relação entre os países a necessidade de um posicionamento mais concreto sobre a questão dos direitos humanos, que envolve e o aspecto comercial.

Para ele, o papel de destaque ocupado pela China hoje no Brasil ? nosso principal parceiro econômico - é sim um dos fatores de motivação da visita de Obama, mas não será colocado explicitamente pelo governo americano.

?Esse tema não será colocado de forma explícita. Nos últimos anos os EUA foram ultrapassados por um país asiático no Brasil, o que nunca aconteceu. Mas é uma questão à qual eles estão atentos, visto que trabalham com a máxima de que como caminha o Brasil, caminha a América Latina?, diz Nasser.

?Os EUA já foram o principal parceiro econômico do Brasil e é claro que essa deve ser uma das questões centrais do encontro, basta ver a lista de pessoas escaladas para acompanhar o presidente, diversos empresários americanos?, diz Peixoto. Para ele, outro assunto que deve ser abordado entre os dois presidentes é a questão do reaparelhamento das Forças Armadas brasileiras, já que os americanos são os maiores fabricantes bélicos do mundo e ?certamente tem interesse? em negociar.

O último presidente americano a visitar o Brasil foi George W. Bush, em 2007, que esteve no país por pouco mais de 24 horas e assinou um acordo de cooperação entre os dois países no setor de biocombustíveis, entre eles o etanol.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br