Presidente eleita Dilma confirma 5 pastas do PMDB

Ideli e Rosário serão ministras no governo de Dilma

A presidente eleita, Dilma Rousseff anunciou oficialmente nesta quarta-feira os nomes dos ministros indicados pelo PMDB para sua gestão. Conforme acertado com o vice-presidente eleito, o deputado federal Michel Temer, o partido ficou com cinco pastas. Hoje, foram anunciados o senador Garibaldi Alves Filho para o Ministério da Previdência, o ex-ministro e senador Edison Lobão para retornar ao comando do Ministério de Minas e Energia, o deputado federal Pedro Novais para assumir o Ministério do Turismo, o atual ministro da Agricultura, Wagner Rossi, para continuar no cargo, e o ex-governador do Rio de Janeiro Moreira Franco para a Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Em nota à imprensa divulgada no início desta noite, Dilma também anunciou a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) para o Ministério da Pesca e Aquicultura, a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) para a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, a jornalista Helena Chagas, atual assessora de imprensa da transição, para a Secretaria de Comunicação Social da Presidência, o atual ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, para o Ministério das Comunicações, e o senador Alfredo Nascimento (PR -AM) para voltar ao comando do Ministério dos Transportes.

Na terça-feira, Dilma fechou a cota de cinco ministérios para o PMDB em um almoço com Temer. Na ocasião, segundo fontes, foram definidas as pastas que ficariam com o partido aliado. Nesta quarta, Dilma confirmou os nomes de peemedebistas cotados para o primeiro escalão.

Na semana passada, Temer afirmou que os então cotados para o primeiro escalão Sérgio Côrtes, secretário de Saúde do Rio de Janeiro, e Nelson Jobim, ministro da Defesa, não entravam na soma de indicações do PMDB por pertencerem à "cota pessoal" de Dilma. O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), chegou a anunciar Côrtes futuro ministro da Saúde de Dilma, mas voltou atrás e se desculpou pelo anúncio "precipitado". O comando da pasta ainda não foi anunciado.

Ao concluir a negociação com o partido do vice, Dilma se debruça agora para a escolha dos titulares das demais pastas e passa a atender a demandas dos outros partidos aliados. Segundo alguns petistas, o objetivo da nova presidente é concluir até a data da diplomação - 17 de dezembro - o anúncio de todo primeiro escalão. Os presidentes de estatais e o segundo escalão serão divulgados só a partir de janeiro.

Fonte: Terra, www.terra.com.br