Presidente Lula respode críticas e diz que ódio de FHC se deve à incompetência

Presidente respondeu em congresso do PCdoB críticas que recebeu ao longo da semana

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva atribuiu as críticas que recebeu do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) na última semana ao "ódio" do tucano em relação a seu governo: - Eu compreendo o ódio que isso causa. Um intelectual ficar assistindo um operário que só tem o 4º ano primário ganhar tudo o que ele imaginava que iria ganhar e não ganhou por incompetência é muito difícil.

A afirmação do presidente foi interrompida por palmas e um coro de "Olê Olê Olê Olá, Lula" de mais de 800 pessoas que assistiam à abertura do 12º Congresso do PCdoB, no Palácio das Convenções do Anhembi, na zona norte de São Paulo. O petista revidou também o ataque do compositor Caetano Veloso, que chamou Lula de "analfabeto" em entrevista a jornal: - Essa semana foi engraçada. Eu fui chamado de analfabeto, de ditador, por ter indicado a Dilma [Rousseff, ministra da Casa Civil] pelo "dedaço" e ganhei o título de estadista do ano.

No fim da semana, Lula ganhou em Londres o prêmio Chatham House 2009, por seu empenho nas relações internacionais na América Latina. O presidente ironizou o fato de não ter a "sapiência dos sociólogos", em uma referência à formação de Fernando Henrique, e dissociou a inteligência do saber acadêmico: - Tem gente que acha que a inteligência está ligada à quantidade de anos de escolaridade que você teve. Não tem nada mais burro que isso. A universidade te dá conhecimento. Inteligência é outra coisa. Para o petista, na política, vale mais a inteligência do que o conhecimento: - A inteligência de saber formar uma equipe não está no livro. Está na sensibilidade. A inteligência de tomar decisões não está no livro. Está no caráter e no compromisso do dirigente. Lula comparou Fernando Henrique a um jogador de futebol que fica no banco de reservas torcendo para que um titular se machuque para poder entrar em campo. Apesar de mostrar-se incomodado com as críticas do ex-presidente tucano, Lula tentou contemporizar e disse ainda não guardar rancor em relação aos ataques: - Não sou homem de carregar mágoas por mais de cinco minutos. O mandato não permite que a gente fique brigando por coisas secundárias.

Fonte: R7, www.r7.com