Procurador diz que pedirá ao STF inquérito no caso Jaqueline Roriz

Procurador diz que pedirá ao STF inquérito no caso Jaqueline Roriz

Deputada foi flagrada recebendo dinheiro do pivô do mensalão do DEM.

A assessoria do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, informou que ele pedirá ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito para apurar o caso da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF)

A deputada aparece em um vídeo no qual ela e o marido recebem um maço de dinheiro das mãos de Durval Barbosa, pivô do escândalo de corrupção que ficou conhecido com mensalão do DEM de Brasília. O assessor da família Roriz, Paulo Fona, disse que conversará com a parlamentar nesta quarta para saber quando ela se pronunciará sobre as denúncias.

Segundo a assessoria de Gurgel, o procurador-geral deve solicitar nos próximos dias a abertura de inquérito contra a deputada, que tem foro privilegiado e só pode ser investigada com autorização do STF.

O vídeo foi divulgado pelo jornal ?O Estado de S. Paulo? no dia 4 de março. Segundo o jornal, as imagens foram registradas por Barbosa em 2006, durante a campanha eleitoral em que a filha de Roriz foi eleita deputada distrital. À época, Barbosa era diretor da Companhia de Desenvolvimento do Planalto Central (Codeplan), no governo de Joaquim Roriz, pai de Jaqueline Roriz.

O suposto envolvimento de Jaqueline no mensalão do DEM de Brasília levou o PSOL a anunciar a intenção de pedir que a Câmara abra procedimento para investigar o caso no Conselho de Ética da Casa.

O corregedor da Câmara, Eduardo da Fonte (PP-PE), anunciou que adotará atitude "rigorosa" em relação ao caso, mas disse que a Corregedoria terá de ser provocada formalmente. O PSOL anunciou que pedirá a investigação à Corregedoria. O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), classificou de ?fortes? as imagens em que a deputada recebe o maço de dinheiro.

Maia prometeu pedir ao Ministério Público uma cópia da gravação e outras informações sobre o caso. O presidente da Câmara vai solicitar aos partidos a indicação dos integrantes do Conselho de Ética da Casa.

Nota

O PMN divulgou nota nesta quarta-feira (9) afirmando que aguardará o "o desenrolar dos acontecimentos" sobre o caso Jaqueline Roriz (PMN-DF).

O partido disse lamentar que Jaqueline Roriz "tenha tenha se deixado envolver ingênua e desnecessariamente numa prática nefasta, própria de agentes políticos de pequena expressão, com tibieza ética, moral e intelectual, sem horizontes e carreira curta".

Na nota, o PMN critica a cobertura da imprensa sobre o caso. "Lamentamos também que - com elogiáveis exceções - alguns jornalistas venham se especializando em promover antecipadamente e a seu bel-prazer o linchamento moral de algumas pessoas".

O partido afirma ter convidado Jaqueline Roriz para ingressar na legenda por "se tratar de uma pessoa de boa índole e fácil trato, filha zelosa, mãe dedicada, esposa amantíssima, estimada pela população, com estabilidade financeira, interessada no exercício da ação política".

Fonte: g1, www.g1.com.br