Projeto de lei que cria cargos de segurança para ex-governadores causa polêmica na Alepi

O texto diz que ao final do mandato o governador terá o direito de utilizar seis servidores estaduais para o seu apoio de segurança pessoal

O Projeto de Lei Complementar encaminhado ao Poder Legislativo pelo governador Wellington Dias (PT), cujo conteúdo dispõe sobre medidas de segurança e apoio pessoal em favor de ex-governador do estado, não foi bem recebido pela oposição na sessão desta quarta-feira (24), na Assembléia Legislativa do Piauí (ALEPI).

A ala tucana da Casa, através do deputado Marden Menezes (PSDB) criticou o texto que solicitava a criação de seis cargos de assessores, garantindo ainda a condescendência de carro oficial para ex-governadores do Estado. Na oportunidade o parlamentar de oposição lembrou que Wellington Dias, quando exercia o cargo de deputado, lutou para acabar com a aposentadoria para ex-governador, incluindo regalias semelhantes das que estão sendo solicitadas pelo Executivo Piauiense.

O texto diz que ao final do mandato o governador terá o direito de utilizar seis servidores estaduais para o seu apoio de segurança pessoal. Vale ressaltar que o Projeto inclui um veículo oficial de luxo durante o mesmo período que o gestor exerceu o mandato. ?Seriam oito anos para o cidadão pagar o luxo do ex-governador Wellington Dias. Para que o suor e o sofrimento de nossa população custeassem a mordomia de um homem que diz vir da roça!?, explanou.

Marden classificou o governador como oportunista, tendo em vista que seu mandato encerra no final do ano, e que a maioria dos membros da Casa dá sustentação à sua gestão. ?O governador, sabendo que seu mandato encerrará no final do ano, tenta se aproveitar da ampla maioria que tem neste Poder para fazer a Assembléia ?engolir? uma verdadeira imoralidade?, criticou.

Os deputados Mauro Tapety (PMDB) e Antônio Félix (PPS) também se manifestaram acerca do Projeto de Lei. Mauro Tapety afirmou que parlamentares da oposição e governistas ficaram espantados com teor do documento, ao tempo que Antônio Félix pediu que o Governo retirasse a proposta da Alepi.

Segundo Marden, em nenhum estado do país deve existir uma lei parecida com a que está sendo proposta pelo governador Wellington Dias. "É a maior vergonha dos últimos anos para o Piauí e contradiz a trajetória política de Wellington Dias. Não podemos concordar com esse tipo de projeto que vai garantir mordomias pagas com o dinheiro do povo para o atual governador quando ele deixar o cargo?, finalizou.

Fonte: Ascom