Protesto pacífico contra o governo reúne cerca de 6 mil em BH

Sobrea as manifestações Aécio diz: não são de um partido político.

Na manhã do último domingo (16) ocorreu na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, Minas Gerais, a terceira manifestação do ano contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT). Marcada pela tranquilidade,  reuniu cerca de 6 mil pessoas. A novidade no protesto  foi a presença do senador Aécio Neves (PSDB). Nas outras edições ele não havia participado.

Indignada com a corrupção, a população foi às ruas em todos os estados e no Distrito Federal. Com cartazes e faixas, muitas sendo confeccionadas no local, eles pediam a saída de Dilma do Palácio do Planalto. Outro foco de descontentamento era com o ex-presidente Lula, principal liderança do PT. Além das palavras de ordem como “fora PT”, o hino nacional foi cantado várias vezes.

Jackson Sbakoski, empresário de 43 anos, participou da manifestação e disse que o objetivo é melhorar o país: "Temos que mudar o país para nossa família e as futuras gerações". " O PT, em vez de governar, está administrando a corrupção", afirmou o vendedor Luís Mario Rocha, de 55 anos. 

Sobre o ato, que ocorre em outras cidades pelo país, a presidente Dilma se reunirá com os ministros  para fazer um diagnósticos dos protestos.

Aécio Neves disse que as manifestações não são de um partido político."Para demonstrar claramente que as manifestações não são de um partido político, mas da sociedade. Estamos participando como parte da população indignada, sem querer ter protagonismo. Se fosse o inverso, desde o início ia aparecer a apropriação de algo que não é nosso", disse.

Image title



Fonte: Com informações do Em