Membros do PSB afirmam que não aceitam imposições

Eles dizem que serão tomadas decisões baseadas no poder de convencimento e no diálogo

As reações dos partidos que já afirmaram aliança com o PSB em relação à deliberação do diretório do Partido dos Trabalhadores (PT) não foi das melhores. Os próprios membros do Partido Socialista Brasileiro (PSB) reafirmaram ontem que ?ficam feliz? com tantos nomes na disputa pelo cargo de vice em uma chapa encabeçada pelo governador Wilson Martins mas que não aceitarão imposições e que todas as decisões serão tomadas baseadas no poder de convencimento e no diálogo.

Para o deputado estadual Wilson Brandão (PSB), a posição do PT deve ser encarada como posição do PT. De acordo com ele, vários partidos estão compondo a base do Governo e todos devem trabalhar pela unidade do bloco partidário. A idéia do partido é que, até a primeira semana de maio, toda a composição da chapa governista deverá estar formada. ?Todos os partidos decidirão em conjunto. O que queremos é que todos os partidos façam parte da chapa majoritária, falta decidir quem ocupará cada vaga?, ponderou.

Brandão enfatizou que ?com conversa tudo se resolve? e que o PSB precisa do apoio dos demais partidos para formar uma chapa vitoriosa rumo ao Palácio de Karnak. ?Não adianta o partido querer avançar demais e acabar excluindo os demais. Precisamos do apoio dos demais partidos e eles precisam participar de alguma composição?, reiterou, considerando quase nulas as chances do PTB optar por uma coligação com o PSB.

Já a deputada Lilian Martins (PSB) disse que o partido aguarda as definições dos demais partidos, como PTB e PMDB para compor toda a chapa majoritária. Para a parlamentar, nem mesmo uma coligação com o PTB está descartada. ?O PTB é um importante aliado, tanto que ainda ocupam funções importantes no Governo. Acreditamos na possibilidade de união e trabalhamos para isso?, frisou. Em relação à pressão petista para ocupar a posição de vice-governador a deputada foi enfática: ?Não aceitamos faca no pescoço, nem mesmo dos membros do PSB?, conclui. (M.M)

Fonte: Mayara Martins