PSC expulsa ex-deputado da oração da propina

PSC expulsa ex-deputado da oração da propina

Brunelli foi gravado recebendo dinheiro de Durval Barbosa, que foi ex-secretário de Relações Institucionais

O ex-deputado distrital Junior Brunelli foi expulso do PSC. A decisão foi comunicada nesta quinta-feira (15) em nota oficial assinada pelo presidente nacional do partido, Vitor Nósseis. Suspeito de participar do suposto esquema de corrupção conhecido como mensalão do DEM no Distrito Federal, Brunelli protagonizou o episódio da oração da propina.

Brunelli foi gravado recebendo dinheiro de Durval Barbosa, que foi ex-secretário de Relações Institucionais do Governo do Distrito Federal.

Barbosa denunciou o suposto esquema de corrupção no governo de José Roberto Arruda. Em um dos vídeos, após receber um maço de notas, Brunelli ora pela vida de Durval com o ex-presidente da Câmara Legislativa Leonardo Prudente, que foi filmado colocando dinheiro nas meias.

Brunelli renunciou ao mandato em março e respondia a processo na Comissão de Ética do PSC, motivo pelo qual não foi escolhido para disputar as eleições. Contrariando decisão do partido, Brunelli solicitou ao Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal registro individual de candidatura ao cargo de deputado federal.

Segundo nota divulgada pelo PSC, o pedido de registro feito por Brunelli "não tem nenhum valor jurídico legal, em razão de que o mesmo não foi escolhido em convenção do partido". O PSC considerou o pedido de registro de candidatura "falta gravíssima" e decidiu expulsar Brunelli. A assessoria de Brunelli informou que ele se manifestará somente após ser comunicado oficialmente pelo partido sobre a expulsão.

O escândalo do mensalão do DEM de Brasília começou no dia 27 de novembro de 2009, quando a Polícia Federal deflagrou a operação Caixa de Pandora. No inquérito, o ex-governador José Roberto Arruda é apontado como o comandante de um esquema de distribuição de propina a deputados distritais e aliados.

Fonte: g1, www.g1.com.br