PSD cogita fusão com PSB caso não amplie tempo de TV, diz jornal

Faltando quatro votos, o julgamento não tem prazo para ser retomado

O PSD, partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, admite o risco de ocorrer uma debandada de seus quadros e projeta uma fusão com o PSB caso não consiga, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aumentar seu tempo de TV e seu acesso ao Fundo Partidário. Já são dois votos a favor e um contra o pedido da nova sigla, que quer receber benefícios na proporção dos votos recebidos em 2010 por sua atual bancada na Câmara, então integrantes de outras legendas. Folha de S.Paulo.

Faltando quatro votos, o julgamento não tem prazo para ser retomado após um pedido de vista. "Se o partido não tiver tempo de TV, temos que nos reunir rapidamente. Não se pode descartar hipótese de fusão com o PSB. É um jeito de tentar sobreviver (...) Muita gente no partido defende isso", afirma o secretário-geral do PSD, Saulo Queiroz, lembrando que a união com o partido do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, era a tendência na origem da formação da legenda de Kassab devido a uma "parceria extremamente gratificante". Se perder no TSE, o PSD ficará com R$ 18,5 mil mensais do Fundo (contra o R$ 1,6 milhão pleiteado) e estreito tempo de TV, o que causaria "enorme insegurança" entre os filiados, segundo Queiroz.

Os deputados federais do PSD, em 2010, receberam 5,1 milhões de votos. Com esse número - que torna a legenda a 7ª maior do País, caso existisse na época da última eleição -, o PSD poderia pleitear mais recursos do Fundo Partidário e a ampliação de seu tempo de propaganda.

Fonte: Terra, www.terra.com.br