Candidatura de Alckmin à reeleição ao governo de São Paulo é oficializada

Deputado federal Márcio França (PSB) vai concorrer como vice-governador. No evento, Aécio disse que PT vai colher nas urnas "repulsa da população".

O diretório estadual do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) de São Paulo oficializou na manhã deste domingo (29) a candidatura do governador Geraldo Alckmin à reeleição ao Palácio dos Bandeirantes, em meio a críticas ao governo da presidente Dilma Roussef (PT).

Candidato à Presidência da República, o tucano Aécio Neves também participou do evento, realizado no Centro de Exposição Imigrantes, na Zona Sul da capital paulista. Aécio deu um tom nacional ao discurso e não poupou críticas ao governo petista. "Aqueles que frustraram a confiança popular, aqueles, como ocorre no governo federal, que abdicaram de um projeto transformador de país para se contentar única e exclusivamente a um objeto de poder vão colher na urna, daqui a três meses, aquilo que plantaram, a repulsa da população brasileira", disse Aécio.

Após lembrar de seu antecessor, o ex-governador Mário Covas, Alckmin também teceu elogios a Aécio, dizendo que o candidato ao Palácio do Planalto é um "líder natural e o mais paulista dos mineiros". "Aécio simboliza o que há de melhor na política brasileira e o que há de mais eficiente na defesa do interesse público", afirmou o governador.

Na convenção, o nome do deputado federal Márcio França (PSB), presidente estadual da sigla, foi indicado para o cargo de vice-governador. O PSB é um partido coligado ao PSDB e anunciou aliança com os tucanos no âmbito estadual há 9 dias, em evento realizado na Assembleia Legislativa de São Paulo. Na ocasião, a decisão gerou certo desconforto entre alguns membros do PSDB, já que o tucano poderá ser visto em algumas agendas com o presidenciável Eduardo Campos (PSB).

Fonte: G1 Globo