PT busca consenso para evitar que vice da Câmara se torne um desgaste

Líder da bancada disse que negociará acordo com pré-candidatos à vaga. Cargo está vago desde que deputado André Vargas renunciou ao posto.

Para evitar desgaste interno com uma disputa no voto entre vários candidatos, o PT realiza no início desta semana uma série de reuniões em busca de um nome de consenso para ocupar até janeiro a vice-presidência da Câmara.

O cargo de vice-presidente está vago desde que o deputado licenciado André Vargas, que responde a processo disciplinar no Conselho de Ética da Câmara e na semana passada se desfiliou do partido, renunciou ao posto, em razão das denúncias de envolvimento com o doleiro Alberto Yousseff, preso pela Polícia Federal na operação Lava Jato.

A eleição para escolha do novo vice estava marcada para terça-feira (29), mas, a pedido do PT, o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), adiou para 7 de maio. O prazo para apresentação de candidaturas vai até as 19h de 6 de maio.

Os cargos na Mesa Diretora da Câmara são distribuídos aos partidos proporcionalmente ao tamanho das bancadas. O PT, partido com mais deputados, tem direito à presidência, mas, por um acordo com o PMDB, segunda maior bancada, ocupa atualmente a vice. Pelo acordo, o PT ficou com a presidência nos dois primeiros anos da atual legislatura e o PMDB, nos dois últimos.

Entre os possíveis candidatos a vice-presidente da Câmara estão os deputados Luiz Sérgio (PT-RJ), ex-ministro de Relações Institucionais, e Paulo Teixeira (PT-SP), ex-líder do partido na Câmara. Um ala do partido também tenta emplacar uma mulher para o mandato tampão, que termina no final deste ano.

?É preciso conversar com os candidatos. Queremos tentar um entendimento para que tenhamos apenas um nome e evitar desgaste interno com uma concorrência para um mandato tão curto. Eu estou trabalhando muito para isso. Não sei se será possível?, afirmou ao G1 o líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP).

Entre as funções do vice-presidente está a de presidir as sessões da Câmara e definir a pauta de votações do plenário na ausência do presidente. Também cabe ao vice presidir o Congresso Nacional, na ausência do presidente do Senado.

Na última quarta (23), o presidente do PT, Rui Falcão, se reuniu com a bancada do partido na Câmara e pediu ?empenho? na busca por um acordo na escolha do vice-presidente.

?Fiz uma ponderação que, para um mandato tampão, que é o caso, a bancada tentasse encontrar uma unidade em torno em torno de um nome, mas que, se isso não for possível, as disputas do PT são legítimas. Que isso se faça sempre nos termos de fraternidade e sobretudo que, apurado o resultado, haja unidade?, afirmou.

Pré-candidato à vice-presidência, o deputado Paulo Teixeira afirmou que está ?dialogando? com a bancada para encontrar um acordo. ?Estamos conversando dentro da bancada. Queremos tentar um consenso. Vamos trabalhar para isso?, afirmou o petista.

Fonte: G1