PT desiste de fazer o recurso e faz articulação da CPI do Metrô de SP

Antes, o PT pretendia contestar a decisão liminar da ministra Rosa Weber no plenário do STF, mas agora mudou o discurso

O Partido dos Trabalhadores desistiu de recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão que determina a instalação de uma CPI exclusiva para investigar a Petrobras, anunciou o líder do partido no Senado, Humberto Costa (PE). Segundo ele, a legenda vai focar na criação de uma CPI mista para investigar denúncias do Metrô de São Paulo, em uma resposta ao PSDB.

Antes, o PT pretendia contestar a decisão liminar da ministra Rosa Weber no plenário do STF, mas agora mudou o discurso. O Senado, no entanto, vai questionar o entendimento da ministra, conforme anunciou mais cedo o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL).

?Quero anunciar aqui o nosso respeito ao entendimento da ministra Rosa Weber e a decisão da Bancada do PT, tomada após uma reunião que fizemos agora há pouco, para a qual também consultamos alguns senadores que estavam ausentes, de não recorrer da liminar ao Plenário do STF?, disse Humberto Costa, no plenário do Senado.

A oposição saiu vitoriosa no embate de CPIs no Supremo. A ministra Rosa Weber decidiu favoravelmente ao mandado de segurança movido contra a decisão de Renan Calheiros em decidir instalar uma CPI da Petrobras ampla, com inclusão de outros casos, como o Metrô de São Paulo e supostas irregularidades no porto de Suape.

Na mesma época do questionamento da oposição, a senadora Ana Rita (PT-ES) também foi ao STF, alegando que a CPI da oposição não tinha um fato determinado. Se Rosa Weber acolhesse o argumento, as duas comissões seriam enterradas.

?Nós do PT, em acordo com a própria senadora, resolvemos acatá-la integralmente e abrimos mão de recorrer para fazer andar mais rápido o processo de instalação da CPI aqui, no Senado Federal. Cabe a esta Casa, que é a parte impetrada do mandado de segurança proposto pela oposição, decidir se recorre ou não ao pleno do STF, com vista a assegurar a independência dos Poderes e a autonomia do nosso processo legislativo?, afirmou.

O líder do PT defendeu a investigação de denúncias do cartel do Metrô de São Paulo e pediu o apoio da oposição ? mais cedo, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse que sua assinatura estava à disposição da investigação. ?Para isso, esperamos contar com o apoio do PSDB e de todos aqueles senadores que, inclusive, vieram a esta tribuna para dizer que assinariam uma CPI sobre o Metrô de São Paulo desde que não fosse na mesma proposta da CPI sobre a Petrobras?, afirmou o petista.

Fonte: Terra