PT diverge sobre punição aos infiéis no Estado

Segundo Socorro Silva, os filiados do PT desses municípios “desafiam” a Direção Estadual do partido

A punição para os infiéis petistas têm gerado divergências dentro do PT. De acordo com Socorro Silva, membro do Diretório Estadual da sigla, a executiva estadual do PT adota uma postura de ?omissão? aos pedidos de intervenção nos diretórios de Parnaíba, Amarante e Altos. Em julho, a direção da legenda decidiu que os petistas que não acompanharem as decisões do partido seriam punidos com a expulsão.

?Nas últimas semanas a cúpula principal da Direção Estadual do PT no Piauí está se comportando como se não tivesse um lado na campanha eleitoral, mesmo com os resultados positivos das últimas pesquisas em favor do candidato Wilson Martins apoiado neste pleito pelo PT?, argumentou Socorro.

Ela disse ao Jornal Meio Norte que o partido tem ignorado os pedidos de intervenção para não ?atrapalhar os interesses dos candidatos a deputados estaduais e federais? nos municípios onde os petistas têm apoiado o candidato a governador pelo PTB, o senador João Vicente. ?O PT esta perdendo a oportunidade de dar um exemplo a sociedade de unidade e fidelidade partidária, o que credenciaria ainda mais na defesa da Reforma Política?, criticou.

Segundo Socorro Silva, os filiados do PT desses municípios ?desafiam? a Direção Estadual do partido em cenas públicas de apoio ao candidato do PTB. ?Com essa postura omissa a Direção do PT sai dessa campanha sem respaldo político e força moral ética para cobrar qualquer que seja a postura de fidelidade partidária aos seus filiados?, pontuou

O presidente regional do PT, Fábio Novo, retrucou que já havia se encontrado com Socorro na semana passado e lhe explicado que a direção da sigla está tomando ?todas as providências cabíveis? em relação aos casos. ?O PT não é um regime de exceção. Quando recebemos denúncias precisamos encaminhar para a Comissão de Ética e fizemos isso. Mas existe um prazo para a defesa e todos os processos estão correndo nas instâncias partidárias?, frisou Novo. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte