PT diz que Themístocles usou ministro para justificar quebra de acordo

O anúncio de apoio do deputado estadual Themístocles Filho (PMDB) à campanha do deputado federal Ciro Nogueira (PP)

O anúncio de apoio do deputado estadual Themístocles Filho (PMDB) à campanha do deputado federal Ciro Nogueira (PP) ao Senado gerou reação do Partido dos Trabalhadores. Os diretórios estadual e nacional da sigla rebateram a informação de que o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, teria revelado que o interesse do Palácio do Planalto em eleger Ciro.

?Quem me disse isso foi o Ministro Alexandre Padilha que revelou que o Palácio do Planalto tem interesse em eleger o Ciro Nogueira. Esta é que é a verdade?, disse Themístocles. Em nota, o PT piauiense se manifestou afirmando que não tem interesse na eleição de Ciro ?por suas história de práticas conservadores, contra os pleitos populares e por defesas corporativistas, como o aumento de 70% para os deputados federais em 2005?.

Para os petistas, tudo não passa de uma estratégia para confundir os eleitores, já que a chapa governista oficial é formada pelo deputado federal Antônio José Medeiros (PT) e pelo ex-governador Wellington Dias (PT). Ciro, por outro lado, faz dobradinha com o vereador R. Silva , também do PP, na chapa do senador João Vicente Claudino (PTB) ao Governo estadual.

?O deputado utilizou o ministro para tentar justificar a quebra do compromisso de mútuo apoio, após forçar a coligação com o PT para deputado federal. Agora, com a legenda garantida para eleição de seu irmão [Marlos Sampaio] , Themístocles declarou apoio a Ciro Filho ao Senado, de uma outra coligação?, diz o texto, acrescentando que Ciro ?se apega a qualquer meio para tentar ligar sua imagem a Wellington Dias, ao presidente Lula e Dilma Russeff por ser a única forma de conseguir votação popular livre, que é a maioria do eleitorado, e vislumbrar alguma possibilidade de êxito?. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte