PT e PMDB disputam vice de W. Martins

As principais lideranças das duas siglas já sinalizaram para o abandono das pré-candidaturas próprias

Com a candidatura do governador Wilson Martins (PSB) caminhando para o consenso na base aliada, resta agora ao PT e PMDB buscarem a segunda posição na chapa majoritária que disputará as eleições de outubro. As principais lideranças das duas siglas já sinalizaram para o abandono das pré-candidaturas próprias e apontam agora o interesse em fechar um acordo na ocupação da vaga de vice-governador.

De acordo com o presidente regional do PT, o deputado estadual Fábio Novo, a reunião da última segunda-feira com todos os pré-candidatos do partido, incluindo o ex-governador Wellington Dias, bateu o martelo sobre a data de definição do posicionamento petista na sucessão eleitoral. ?No dia 24 iremos definir se mantemos o deputado federal Antônio José Medeiros como pré-candidato a governador ou se aderimos a outra candidatura da base?, pontua.

O nome de Wellington Dias para concorrer ao Senado não é considerado por Novo como suficiente para acomodar a legenda. ?Não entendo que a vaga de senador seja do PT. O Wellington tem luz própria, e a conquista dele foi natura. Se o PT não tiver candidato, buscará a vaga de vice?, enfatizou.

SUPLÊNCIA- A suplência de Dias ao Senado também já teria uma candidata: a ex-secretária estadual de Administração Regina Sousa. ?A Regina se colocou a disposição do partido?, disse Novo. O deputado lembra que o PT possui hoje 19 pré-candidatos a deputado estadual e sete a deputado federal. ?Cabe também ao partido costurar uma aliança proporcional que acomode a vontade de aumentar a representatividade legislativa?.

A cobiça em torno da posição de vice-governador de Wilson Martins tem um motivo: Martins estará se candidatando a reeleição este ano e, portanto, não poderá concorrer a um próximo mandato, deixando espaço livre para eleger um sucessor. O PMDB, considerado o fiel da balança destas eleições, também deseja o mesmo cargo que o PT e a coincidência de interesses pode gerar um impasse dentro do bloco governista, fortalecendo a oposição.

PESQUISA - ?Só existia uma possibilidade do PMDB colocar o Marcelo Castro como senador: se o PTB indicasse o vice. Em outras situações, buscaremos a vice?, afirmou o deputado estadual e presidente da Assembléia Legislativa, Themístocles Filho (PMDB). ?Já falamos isso claramente?, frisou. Themístocles acredita que um entendimento só será firmado no início de junho, antes das convenções partidárias.

?Temos tempo. Até lá ainda iremos encomendar duas pesquisas: uma interna, entre os membros do PMDB, como prefeitos e vereadores, e outra externa, para saber da população onde ela quer o partido. Somente aí decidiremos que caminho seguir?, disse. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte