PT faz mobilização nacional por Dilma

Diretórios estaduais e municipais do PT serão acionados para produzir conteúdo jornalístico durante a campanha eleitoral

A cúpula da campanha da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, quer mobilizar os diretórios regionais do PT para ajudar na comunicação eleitoral da pré-candidata ao Palácio do Planalto. A ideia é produzir material de divulgação para televisão, rádio e internet, aproveitando o efeito multiplicador da estrutura disponível da militância petista nos estados.

O deputado André Vargas (PT-PR), secretário nacional de Comunicação, ficou responsável por sintonizar as equipes dos diretórios estaduais e municipais na empreitada palaciana. A proposta é estimulá-las a produzir conteúdo jornalístico, e não apenas panfletário, típico de propaganda eleitoral. O mentor da comunicação de campanha é o publicitário João Santana. A estimativa do ex-tesoureiro do partido Paulo Ferreira é que, só de comunicação, gaste-se cerca de R$ 80 milhões durante toda a campanha, 40% do total, estimado em R$ 200 milhões. ?Ela terá condições de falar com o Brasil por meio da estrutura do PT?, disse.

A legenda conta com a Rádio PT, acessada pela internet, estúdio e equipe de rádio em Brasília e o espaço a ser utilizado pela pré-candidata. A Secretaria de Comunicação também reúne o cadastro utilizado pelos petistas nos estados para fazer a divulgação com os eleitores. ?Todos os parlamentares têm redes próprias e vamos aproveitar isso?, afirmou.

A ministra deixa o cargo na próxima semana. Ela aproveitará o feriado da Páscoa para fazer a mudança da residência oficial, localizada na Península dos Ministros, para uma casa de três quartos também no Lago Sul. O aluguel será bancado pelo PT ? a sigla diz apenas que o custo fica entre R$ 10 mil e R$ 15 mil. O partido também dará um salário a Dilma, como antecipado pelo Correio, que deverá unificar seu vencimento como ministra, de R$ 12,5 mil, mais R$ 5,3 mil, por integrar o Conselho de Administração da Petrobras. O PT negocia com um hotel de Brasília para alugar um andar inteiro e transformá-lo em escritório político da campanha.

Tabloides

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou, ontem, a criticar a cobertura dos veículos de comunicação. ?Fico imaginando daqui a 30 anos, quando alguém quiser fazer uma pesquisa sobre a História do Brasil e sobre o governo Lula e tiver que ficar lendo determinados tabloides. Esse estudante vai estudar uma grande mentira neste país?, afirmou. O presidente também demonstrou confiança na vitória de sua pupila na eleição de outubro, apesar da ordem no PT ser evitar o salto alto. ?Não posso dizer quem vai ser (o futuro presidente) porque vamos aguardar. Apesar de na minha cabeça eu ter consciência do que vai acontecer neste país este ano.? As declarações de Lula foram feitas durante o balanço do programa Territórios da Cidadania, voltado para comunidades rurais.

RITMO DE DESPEDIDA

A uma semana de deixar o cargo para concorrer à cadeira de deputado estadual no Rio de Janeiro, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc (PT), cumpre uma extensa agenda na reta final à frente da pasta. Ontem, ele começou o dia em um encontro com o presidente Lula e diz ter garantido a vitória dos ambientalistas em relação às mudanças no Código Florestal. ?A orientação do governo face ao código é em cima do acordo com a agricultura familiar. Ou seja, não serão derrubadas as proteções das florestas brasileiras.? Ontem, Minc também divulgou um plano de sustentabilidade para a Amazônia. Hoje, lança o Inventário Nacional de Emissões de Gases Poluentes. Os eventos se estendem até o fim de semana. No Rio, ele participará de mobilizações de ONGs e de encontro com o presidente do BNDES para discutir recursos para o Fundo da Amazônia. Em seu penúltimo dia de trabalho, participará de operações de combate ao desmatamento.

» Uma indigestão chamada Ciro

Denise Rothenburg

O presidente Lula cansou. Aos amigos, tem dito que o deputado Ciro Gomes, do PSB, passou dos limites. E, por isso, não receberá mais o socialista para dizer que a candidatura do governo à Presidência da República é apenas a da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Nem para afirmar que está magoado com a série de entrevistas em que Ciro não poupa críticas ao governo e ao PT, sempre levantando a história do mensalão petista, algo que Lula deseja esquecer. O presidente está decidido a repassar essa tarefa para o PSB, presidido pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Lula está decidido a tentar minar a candidatura de Ciro ?por dentro?, ou seja, chamando setores do próprio PSB para conversar sobre a inconveniência de o governo ter Ciro como candidato criticando o PT. Está disposto a derrotar o deputado eleito pelo Ceará até mesmo numa convenção dos socialistas. Até porque, tem dito Lula, dadas as críticas que Ciro faz ao PT, o Planalto considera que ele colocou um pé na oposição.

Ontem, por exemplo, no programa 3x1 da TV Brasil, Ciro voltou a bombardear a sigla e o governo. ?O PT está acostumado a tratar seus aliados como se fossem seus empregados e a destratá-los, como faz com o PCdoB?, disse Ciro, citando o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu. ?Dirceu não está fora (do jogo político)?, afirmou, ao reclamar da ida de Dirceu ao Ceará para dizer ao governador Cid Gomes (PSB) que, se Ciro fosse candidato a presidente, o PT iria contra ele (Cid) no Ceará. ?Teve ainda o desplante de fazer a mesma coisa com o Eduardo Campos em Pernambuco. Não é assim que se trata um amigo, parceiro ou companheiro.?

O deputado disse estar mais preparado do que a ministra: ?Dilma tem um grande histórico, mas pode cometer um erro no processo político eleitoral porque nunca foi candidata a nada?, afirmou. ?Sou, por ter mais estrada, o mais preparado para o debate. Isso não diminui a Dilma. Se o país escolhê-la, estará com uma grande presidente. Não tenha dúvida disso. Mas eu tenho mais experiência do que ela?, comparou. Na contabilidade do Planalto, foi a 10ª vez que Ciro soltou a metralhadora contra o governo. E está tomando um caminho sem volta.

Fonte: Correio Braziliense