PT lidera disputa pelo governo de Minas, aponta Datafolha

PT lidera disputa pelo governo de Minas, aponta Datafolha

PT lidera disputa pelo governo de Minas, aponta Datafolha

O ex-ministro Fernando Pimentel, candidato do PT ao governo de Minas Gerais, lidera a disputa com 13 pontos à frente de seu principal oponente, o também ex-ministro Pimenta da Veiga, candidato do PSDB.

A primeira pesquisa Datafolha após o registro das candidaturas, realizada entre terça (12) e quinta-feira (14), mostra o petista com 29% das intenções de voto, contra 16% do tucano, indicado pelo senador Aécio Neves (PSDB).

Os indecisos são maioria: 31%. Outros 14% pretendem votar branco, nulo ou em nenhum nome. Por enquanto, 45% dos eleitores não têm candidato em Minas.

Em terceiro lugar, com 4%, aparece o candidato do PSB, o ex-prefeito de Juiz de Fora Tarcísio Delgado (PSB). Os outros quatro candidatos somam 5%.

A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O índice de confiança do levantamento é de 95%.

ESTRATÉGIAS

Pimentel e Pimenta polarizam a disputa com estratégias diferentes.

A tática do PSDB é nacionalizar a disputa e, de alguma forma, associá-la ao plano nacional, já que Aécio, a maior referência dos tucanos em Minas, trava uma disputa com o PT pela Presidência da República.

Pimenta colou sua imagem à de Aécio e procura sempre vincular as questões locais às dificuldades econômicas do país sob a gestão do PT.

Em discurso, o tucano tem priorizado questões federais que afetam o Estado, apontando falta de investimentos federais em Minas, como em segurança pública. Já é quase um mantra na campanha Pimenta dizer que com "o presidente Aécio eleito, isso mudará.

Enquanto isso, Pimentel mantém seu discurso regionalizado e menos colado na imagem da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição.

Essa vinculação é menos explícita porque a Pimentel interessa mais enfatizar as dificuldades da gestão de quase 12 anos do PSDB em Minas.

Pimentel fala, por exemplo, do peso que o governo estadual do PSDB impõe às prefeituras municipais ao compartilhar com elas despesas operacionais da Polícia Militar, como combustível ou locação de imóveis.

Na próxima semana, quando começar a propaganda eleitoral no rádio e na TV, os candidatos se tornarão mais conhecidos. Os tucanos esperam reação de Pimenta, até porque ele é o que terá mais tempo disponível.

O tempo de programa dele será de 8min05 por bloco, enquanto Pimentel terá 5min52. Pimenta terá direito ainda a 219 inserções durante o período da propaganda diária, contra 158 de Pimentel.

REJEIÇÃO E SENADO

O candidato mais rejeitado, segundo o Datafolha, é Fidelis (PSOL). Não votam nele 16%. O tucano Pimenta aparece em segundo, com 14% de rejeição, seguido pelo petista Pimentel e por Cleide Donária (PCO), 10% cada um. A rejeição de Tarcísio Delgado é de 9%.

O ex-governador Antonio Anastasia (PSDB) lidera com folga a corrida pela cadeira mineira em disputa para o Senado. Ele tem 46% das intenções de voto, contra 7% do empresário Josué Alencar (PMDB), segundo colocado. Josué é filho do ex-vice-presidente José Alencar, morto em 2011.

Outros 25% dos eleitores não sabem em quem votar para o Senado. Os que pretendem votar em branco, nulo ou em nenhum candidato somam 12%.

O Datafolha ouviu 1.238 eleitores em 50 municípios. A pesquisa está registrada no TRE (Tribunal Regional Eleitoral), com o número 00063/2014, e no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número 00357/2014.


Fonte: FOLHA