PT surpreende e elege a deputada Flora Isabel como líder do partido na Alepi

O nosso trabalho continuará alinhado com as principais demandas da população, que são melhorias na saúde, educação, segurança e, claro, na defesa dos direitos humanos”, disse a parlamentar

Com as expectativas geradas inicialmente para o nome de Fábio Novo (PT), como líder da bancada petista na Assembleia Legislativa do Piauí, os parlamentares da sigla surpreenderam na manhã de ontem ao escolher por unanimidade a deputada estadual Flora Izabel para a função, tendo como vice Francisco Limma. Esta é a primeira vez que a representante assume o posto, indicando para a evolução do nome da deputada dentro do partido. “Eu estou muito feliz pela confiança que me foi dada pelos meus colegas do PT. O nosso trabalho continuará alinhado com as principais demandas da população, que são melhorias na saúde, educação, segurança e, claro, na defesa dos direitos humanos”, disse a parlamentar.

Com a função, Flora Izabel terá como missão o estreitamento das relações com as demais bancadas, tal como a manutenção dos laços governistas na Casa, a importância do papel se reflete no desejo que o Partido dos Trabalhadores nutre em fortalecer a sua base na Alepi. Em seu primeiro pronunciamento como líder, a deputada, porém, priorizou dialogar sobre as pautas que defenderá no Poder Legislativo, dentre as quais a reforma política.

“Como líder da bancada petista nesta Casa, trabalharei em sintonia com os diretórios estadual e nacional a fim de que os debates sobre a reforma política sejam ampliados aqui no Piauí e, finalmente, o Congresso Nacional tire essa proposta do papel”, destacou.

REFLEXO – Os desdobramentos que levaram à escolha de Flora Izabel (PT) também podem apontar para a vontade que a base governista teria em levar Fábio Novo (PT) à Presidência da Comissão de Constituição e Justiça. O primeiro passo para conseguir o posto teria sido dado com a formação do bloco parlamentar com o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Desse modo, a não indicação de Novo, seria uma forma de poupá-lo, possibilitando que sua dedicação fosse maior frente a CCJ.

Fonte: Francy Teixeira