PT tenta obter desgaste máximo nos trabalhos de campanha visando o 2º turno

A presidente continuará batendo na tecla de que Marina iria diminuir a importância da exploração do Pré-Sal

Na tentativa de aproveitar o maior tempo possível de TV, PT tenta obter desgaste máximo ainda no 1º turno em relação à candidata do PSB, Marina Silva, isso porque ambas terão o mesmo tempo de TV no 2º turno.


Ao todo, a campanha de Dilma conta nesta fase da disputa com cerca de 2 minutos e 45 segundos por dia para as inserções - que são pequenos comerciais durante a programação normal de TV. Marina tem uma média diária de apenas 29 segundos deste tipo de exibição. Serão nove dias de programas presidenciais entre hoje até o dia 2 de outubro, quando encerra o horário eleitoral gratuito do 1º turno, sempre às terças, quintas e sábados. São nessas propagandas, com cerca de 30 segundos cada uma, que Dilma aproveita para atacar a candidatura do PSB. Além da vantagem nas inserções, a petista dispõe de 11 minutos dos programas eleitorais fixos, enquanto Marina tem apenas 2 minutos.

A presidente continuará batendo na tecla de que Marina iria diminuir a importância da exploração do Pré-Sal e que iria defender os interesses dos banqueiros caso seja eleita, ao propor a independência do Banco Central. A avaliação dos petistas é a de que esses ataques são os principais responsáveis por, primeiro estancar o crescimento, e agora promover a queda de Marina nas pesquisas de intenção de voto.

Os dois candidatos que chegarem ao segundo round da eleição terão dez minutos de programa cada um, o que representa tanto para Marina quanto para Aécio Neves a possibilidade de neutralizar a vantagem de exibição da campanha petista. Entretanto, interlocutores da presidente destacam que, se a desconstrução de Marina for bem feita nessa etapa, os próximos seis programas em que ambos concorrentes terão equidade de tempo não serão suficientes para uma recuperação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Clique aqui e curta a página do meionorte.com no Facebook

Fonte: Yahoo