PV é primeiro partido a exigir “ficha limpa” de candidatos

Teresa Britto também acredita que todos os partidos deveriam inserir em seus estatutos a exigência de ficha limpa de seus candidatos.

Apesar do Congresso Nacional ter rejeitado a PEC da "Ficha Lipa". Uma resolução aprovada pelo Diretório Nacional do Partido Verde determina que todas as executivas estejam obrigadas a lançar somente candidaturas de políticos que não tenham condenação judicial em segunda instância, ou em decisão colegiada. Dessa forma, o PV é o primeiro partido político a proibir candidatos que respondem a processos criminais na justiça.

A vereadora Teresa Britto, membro do diretório nacional, participou da votação e defende a tese de ficha limpa aos candidatos. Segundo ela, todos os partidos deveriam adotar essa medida por iniciativa própria e não por imposição de lei. Teresa Britto também acredita que todos os partidos deveriam inserir em seus estatutos a exigência de ficha limpa de seus candidatos. Para ela, essa seria uma das medidas mais moralizadas para elevar a credibilidade da classe política em todo país.

?Participei da votação dessa resolução moralizadora no Partido Verde Nacional. O mais importante é que a resolução será adotada antes da proposta de iniciativa popular que tramita no Congresso Nacional e obriga os candidatos dos partidos a terem ficha limpa tenha validade. Queremos moralizar a política brasileira?, ressaltou.

A proposta de iniciativa popular para barrar candidaturas de políticos com ficha suja foi apresentada à Câmara dos Deputados com mais de 1,6 milhão de assinaturas. O projeto tramitou em comissão especial e está pronto para ser votado. O presidente da Casa, deputado Michel Temer (PMDB-SP), marcou a votação do projeto para esta quarta-feira (07).

O PV não irá permitir a candidatura de políticos condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o transcurso do prazo de oito anos após o cumprimento da pena por crimes contra a economia popular, a fé pública, a administração pública, por atos contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o meio ambiente, a saúde pública e contra a vida, entre outros.

Fonte: Ascom