R. Silva muda o tom e ataca Mão Santa no horário eleitoral

Para o advogado de Mão Santa, Edvar Santos, a propaganda busca confundir a opinião pública.

Na reta final da campanha eleitoral, a propaganda eleitoral do vereador R. Silva (PP), fugiu do tom adotado nos últimos dois meses e mostrou ontem um vídeo do senador e candidato à reeleição Mão Santa (PSC) em que ele critica a candidata do PT à presidência, Dilma Roussef. R. Silva faz dobradinha com o deputado federal Ciro Nogueira (PP) na disputa pelas duas vagas no Senado na coligação ?Por um Piauí novo?.

Para o advogado de Mão Santa, Edvar Santos, a propaganda busca confundir a opinião pública. ?É uma atitude ultrapassada de quem quer passar a imagem de novo, e ainda demonstra desespero?, disse. Ele explicou que a imagem e fala do senador usadas na propaganda de R. Silva, quando Mão Santa chamou a petista de ?galinha cacarejadora?, faz alusão a um livro que trata da vida de Hitler.

A expressão teria sido usada na época para classificar homens públicos que prometiam mas não cumpriam as promessas. R. Silva ainda diz no horário eleitoral que o senador estaria atacando a ?futura presidente? do país. Em viagem ao interior do Estado, o senador não foi encontrado para comentar o caso, mas sua esposa Adalgisa Moraes Sousa, afirmou que R. Silva seria o ?testa de ferro? de Ciro.

?O Ciro deveria amadurecer e respeitar os votos do Mão Santa e não usar um testa de ferro. Qual o projeto de lei que ele já fez? É um homem de quase 50 anos que vive em Nova York?, frisou Adalgisa. Na semana passada, a coligação ?Por Um Piauí Novo?, ingressou com cinco ações junto à Justiça Eleitoral para impedir que o senador continuasse a veicular seu crescimento nas pesquisas de intenção de voto.

Os advogados de Ciro argumentaram que não havia a data de realização das pesquisas, muito menos a margem de erro, promovendo, desta forma, o ?enaltecimento? de Mão Santa perante o eleitorado do Estado. O vereador R. Silva também não foi localizado para comentar o caso. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte