Rejane Dias apresenta balanço da Educação na Assembleia Legistativa

A secretária esteve nesta quinta-feira na Assembleia Legislativa


A secretária de Estado da Educação, Rejane Dias, foi na manhã de hoje à Assembléia Legislativa fazer o balanço das ações da pasta ao longo de seu primeiro ano de gestão, atendendo a requerimento do deputado João de Deus (PT). Rejane também apresentou os gastos e investimentos da Secretaria da Educação no mesmo período.

Durante o ano, precisou enfrentar dificuldades financeiras e dívidas com fornecedores, obras e convênios. As escolas também estavam a seis meses sem receber os recursos para custeio e merenda escolar. “Mesmo com a crise financeira do Estado, conseguimos administrar as despesas e hoje já fizemos todos os repasses referentes ao custeio, por exemplo. Só o PACTUE, que compõe a manutenção das escolas, pagamos o valor de R$ 8.900.322,00, totalizando R$ 37.850.927,00 até o dia 15 de dezembro”, comentou Rejane Dias.


A falta do custeio criou problemas estruturais às escolas, que precisaram ser combatidos durante o ano. “Fizemos um levantamento das escolas em risco e já iniciamos a recuperação das mesmas. De 309 obras paralisadas no início do ano retomamos 2015. Entregamos 45 obras. Nos próximos anos, teremos melhores condições para executar novas obras as manter as escolas melhores estruturadas e atrativas para alunos e professores”, concluiu Rejane, lembrando que no próximo dia 21 será entregue a reforma do Liceu Piauiense.

A secretária também apresentou as ações ao Ensino. Deu destaque aos programas de gestão para melhoria do Ideb da rede estadual e as ações de

A secretária também destacou ações como a implantação da Escola Militar. Mais duas devem ser inauguradas em 2016. Falou também da implantação da tecnologia, que já permite que pais controlem a freqüência dos filhos pelo celular e vai possibilitar a matrícula online.

Sobre os professores, destacou que a categoria tem o 12º melhor salário do Brasil, à frente de São Paulo, Rio Grande do Sul, Ceará e Pernambuco. O professore piauiense, Classe A, Nível 1, recebe R$ 2.221,75. O Piso nacional é de R$ 1.917,78. A Seduc também está fazendo parcerias com a UESPI para a oferta de cursos de mestrado profissional. Ao mesmo tempo, garantiu formação superior a mais 1.999 professores atendidos pelo PAFOR.




Fonte: Portal MN