Relator do caso Cunha diz que recomendará que processo continue

Ele ressaltou que, na relatoria do caso, agirá com "cautela"

Image title


Escolhido novo relator do processo que investiga Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado Marcos Rogério (PDT-RO) afirmou nesta quarta-feira (9)  que irá recomendar a continuidade das investigações para averiguar a suposta quebra de decoro parlamentar.

O pedetista foi indicado para substituir o deputado Fausto Pinato (PRB-SP) na relatoria do caso.  Marcos Rogério afirmou que, para ele, a tarefa para qual foi designado não é apenas “um pepino, e sim "a salada inteira”.

O parlamentar do PDT ressaltou que, na relatoria do caso, agirá com "cautela" para evitar “esperneio” de aliados do peemedebista.Desde a instauração do processo por quebra de decoro parlamentar, deputados próximos de Cunha tentam inviabilizar as sessões do Conselho de Ética com uma série de manobras.

Nesta quarta-feira, na sexta tentativa do colegiado de analisar o parecer preliminar que recomendava a continuidade do processo de Cunha, o vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA) – investigado pela Operação Lava Jato – determinou a substituição do então relator do caso, Fausto Pinato (PRB-SP).“Não é um pepino, é a salada inteira. Bom, primeiro eu estou administrando a notícia. Eu acabei de tomar conhecimento.

Ele conversou comigo à tarde e disse que faria o anúncio. Em princípio farei análise, para preparar texto sucinto”, disse Marcos Rogério.“O tema foi amplamente discutindo no Conselho. Eu até tenho minha posição com relação a esse aspecto. Eu estou querendo evitar dar armas para esperneio. Esse processo exige muita cautela em afirmações”, completou o novo relator.O deputado de Rondônia afirmou ainda que pretende apresentar o parecer na próxima terça-feira (15).

Perguntado se teme sofrer ameaças, como as relatadas por Fausto Pinato, Marcos Rogério respondeu: “Eu espero que não tenha dissabor e descontentamento. Não tenho nada pessoal contra nenhum parlamentar. Acho que não cabe julgar a pessoa do Eduardo, vamos julgar os fatos. não vejo porque ter ameaça. Até porque isso não muda [o posicionamento]”.Ele não quis adiantar se defenderá ou não a continuidade das investigações. No entanto, em uma das sessões do Conselho de Ética destinadas a analisar parecer de Pinato, Marcos Rogério defendeu que a admissibilidade do processo em um discurso de mais de 10 minutos.

O deputado do PDT também foi relator de um projeto de decreto legislativo que acaba com a necessidade de parecer preliminar nos processos de cassação de mandato parlamentar que tramitam no Conselho de Ética. O objetivo do texto, aprovado na Comissão de Constituição e Justiça e que ainda precisa passar pelo plenário, é eliminar uma das etapas do procedimento e dar celeridade aos processos políticos contra deputados.Na época, Marcos Rogério afirmou que a ideia era acelerar o andamento do processo. “Não há efeito suspensivo do processo principal. Deve ser cumprido o prazo de 10 dias para defesa. Estou garantindo a ampla defesa, mas sem criar mecanismos de protelação”, afirmou, na ocasião.

Fonte: G1