Roncalli: "Eles tem quatro e acabam não tendo nenhum"

Para o deputado, o governador se atrasou para definir o nome do candidato ao governo pela base e está gerando descontentamento entre os demais membros

As declarações dadas, no último final de semana, pelo governador Wellington Dias repercutiram durante todo o dia de ontem. Não só entre membros da base aliada, mas também entre membros da oposição. Para o deputado estadual Roncalli Paulo (PSDB), o governador se atrasou para definir o nome do candidato ao governo pela base e está gerando descontentamento entre os demais membros.

De acordo com o parlamentar, o governador teria que ter feito como fez o presidente Lula, que desde o início estabeleceu quem seria o pré-candidato que teria o seu apoio. "No entanto, aqui no Piauí, tem o estilo Wellington Dias de empurrar com a barriga e, agora, chegou a hora do menino nascer e ainda não se tem a definição. Eles tem quatro e acabam não tendo nenhum", ressaltou. O deputado afirmou que esteve, no último final de semana, com um petista que afirmou que o governador ficaria no cargo. "Segundo o petista, o governador não sairá para disputar o senado e votará no João Vicente Claudino", completou.

O tucano acrescentou que a oposição terá um candidato nas eleições deste ano e entrará com uma candidatura competitiva. "Nem que não seja o Sílvio Mendes. Mas a população tem demonstrado uma empatia com a pré-candidatura do Sílvio", explica, acrescentando que as alianças em torno da pré-candidatura da oposição ainda estão sendo costuradas. Indagado sobre uma possível aliança com algum pré-candidato da base aliada, o parlamentar não descartou. "Seria bom, fortaleceria e somaria a oposição. Mas, uma candidatura da oposição não está vinculada a isso", frisa.

Há algum tempo, o PSDB não fala mais de alianças com os pré-candidatos da base aliada. De acordo com o parlamentar, houve um distanciamento de conversas com os partidos que compõem a base aliada. "Mas isso não quer dizer que não poderá surgir alianças", assinala. Questionado sobre a crença na manutenção da base aliada, o parlamentar acrescentou que acredita que será difícil manter a base unida, visto que são quatro pré-candidatos querendo a mesma coisa. "Ainda assim, não é impossível manter a base unida. Na política, tudo é possível", finaliza. (M.M)

Fonte: Mayara Martins