Sarney nega acordo para sucessão no Senado

Presidente disse que nunca tratou do assunto com o governo

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), negou nesta quarta-feira (19) a existência de um acordo prévio com o governo para a sucessão na presidência da Casa. Em nota à imprensa, ele diz que sequer discutiu o assunto com qualquer pessoa do governo.

Nesta semana, a imprensa tem divulgado que um acordo estaria sendo fechado entre o governo e o PMDB como forma de compensar o partido por ter perdido cargos no setor elétrico.



Em troca, o governo apoiaria a candidatura única de Sarney para a presidência do Senado no primeiro biênio (2011-2012) e endossaria o nome do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) para sucedê-lo no segundo biênio (2013-2014).

"Alguns órgãos da imprensa têm circulado a notícia de que o presidente do Senado, senador José Sarney, teria participado de acordo de "compensação" com o governo, envolvendo sua candidatura à Presidência da Casa e a candidatura futura, ao mesmo cargo, do senador Renan Calheiros.

O Presidente José Sarney desmente a notícia e esclarece que não fez qualquer acordo no sentido descrito, desconhece sua existência, e jamais participou de conversa telefônica ou de reunião em que tal assunto tenha sequer sido levantado.

- Nem como descrito na notícia, que desminto, nem em outra circunstância levantei o tema da próxima sucessão no Senado com qualquer pessoa do governo."

Fonte: R7, www.r7.com