Ministério libera R$ 101,5 milhões para 45 hospitais universitários

Vinte estados de todas as regiões, mais o DF, serão beneficiados

Em meio a uma grave crise nos hospitais universitários do país, o Ministério da Saúde anuncia nesta sexta-feira (6) a liberação de mais de R$ 101,5 milhões para 45 deles. Vinte estados de todas as regiões mais o DF serão beneficiados. A medida foi publicada no Diário Oficial da União.

O dinheiro deverá servir para "serviços de custeio", e cada hospital vai definir onde precisa investir o montante.

O repasse será feito pelo Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF), estabelecido em janeiro de 2010. Essa é a primeira parcela do pagamento referente a este ano. A próxima, de R$ 168,5 milhões, deve ser liberada em 60 dias, segundo o ministério.

Além desses R$ 270 milhões, o REHUF prevê que os hospitais universitários recebam mais R$ 315 milhões do Ministério da Saúde em parceria com o Ministério da Educação (MEC) para cobrir despesas com obras e equipamentos.

De acordo com o texto do Diário Oficial, a liberação da verba fica condicionada à comprovação, por parte dos hospitais, da necessidade de pagamento imediato, para que isso não comprometa o fluxo de caixa do Fundo Nacional de Saúde.

O hospital que ficará com a maior quantia é o Hospital São Paulo, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), com R$ 10,6 milhões. Esta semana, as cirurgias no local chegaram a ser suspensas por falta de recursos.

No Rio de Janeiro, os hospitais universitários federais Clementino Fraga Filho, São Francisco de Assis e Gafrée e Guinle, a Maternidade Escola e cinco institutos (de ginecologia, doenças do tórax, neurologia, psiquiatria, e puericultura e pediatria) vão ganhar, ao todo, mais de R$ 7,7 milhões. Só o hospital Clementino Fraga Filho, conhecido como Hospital do Fundão, vai receber quase R$ 4 milhões.

Nas demais regiões, o hospital que terá menos recursos financeiros do governo é o Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza, em Belém (PA), com R$ 40 mil.

Fonte: G1