Seca verde: Governador recebe documento com reivindicações

O parlamentar lembrou que as expectativas da população por um bom inverno já não existe mais e que boa parte dos agricultores já esperam alguma ajuda

Criação do programa de agricultura sustentável e irrigação, socorro imediato às famílias e pequenos agricultores, além da solicitação de ação emergencial aos governos estadual e federal. Esses foram alguns dos encaminhamentos da audiência pública realizada na tarde desta quarta-feira (10), no Cine teatro da Alepi e que discutiu os problemas da seca verde no Piauí.

João de Deus (PT), autor do requerimento que possibilitou a audiência pública, afirmou que em nome de todas as entidades e prefeituras entregará ao Governador Wellington Dias, ainda nesta quinta-feira (11), os encaminhamentos tirados do encontro para que as soluções necessárias sejam tomadas o mais rápido possível. O parlamentar lembrou que todas as expectativas da população por um bom inverno já não existe mais e que boa parte dos agricultores já esperam algum tipo de ajuda.

?Buscaremos não só as ações mais imediatas. Esperamos poder nos antecipar a problemas mais graves para os pequenos agricultores. A perda de safra é quase total em muitos municípios e quem tem fome tem pressa. Também aposto no subsídio do governo a projetos de irrigação e agora é preciso levar as propostas. Queremos o atendimento imediato, mas também políticas públicas de médio e longo prazo que garantam a sustentabilidade da produção?, disse.

Adalberto Pereira, superintendente do Ministério do Desenvolvimento Rural, destacou que 85% da produção de 2010 já está comprometida. Com isso, medidas de proteção ao trabalhador rural como o Programa Garantia Safra já podem ser utilizados por agricultores de localidades atingidas em situação de emergência.Os prefeitos que aderiram ao programa possuem um prazo de 90 dias, depois do plantio, para comunicar as perdas através de vistorias ao Ministério.

O presidente do Emater, Francisco Guedes afirmou que a audiência servirá como referência no desenvolvimento de políticas públicas aos efeitos da seca em diversos municípios do Estado. Chamando atenção para a atual condição, ele considerou que antes de tudo os prefeitos deverão assumir um compromisso de decretar situação de emergência para que os benefícios através dos programas já possam ser acionados.

O encontro contou com a participação de várias lideranças de muitos municípios e órgãos como MDA, Embrapa, Banco do Nordeste, Banco do Brasil. Também contribuíram com o debate Lúcia Araújo, da coordenadoria do Programa do Semi-Árido; Francisco das Chagas Ribeiro, da coordenadoria do Crédito Fundiário; Fernando Monteiro, secretário da Defesa Civil; Rubens Martins, da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Paulo Emanuel Carvalho, da FETAG, além de representantes do INCRA e Sindicatos dos trabalhadores rurais.

Fonte: Ascom