Secretária das Mulheres pode ser demitida antes mesmo da posse

A sua indicação para o governo de Temer gerou uma polêmica.

A nomeação da secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Fátima Pelaes, foi decretada no Diário Oficial de sexta-feira (03), mas ela poderá ser demitida antes mesmo de ser empossada. Isso porque de acordo com informações do assessor, o motivo seria o conjunto da obra, diante do debate sobre a legislação do aborto e também por ela ser investigada pelo Ministério Público na ‘Operação Voucher’.

Fátima afirmou ser contra o aborto, mesmo em casos de estupro, o que é permitido pela legislação brasileira e provocou polêmica e revolta de movimentos. Além disso, ela é investigada em uma operação porque destinou R$ 4 milhões de uma emenda parlamentar para uma ONG da área do turismo onde trabalhava uma sobrinha.

A sua indicação para o governo de Temer gerou uma polêmica por conta da bancada feminina e segundo o um auxiliar, ela não se sustentou. Por isso, ela deve ser substituída depois de uma conversa com a bancada feminina para tentar resolver as pendências.

Fátima Pelaes e Temer (Crédito: Reprodução)
Fátima Pelaes e Temer (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1