2º turno pode ter maioria pró-Dilma nos Estados

De acordo com pesquisas, maioria das disputas estaduais tem políticos da base com vantagem

A petista Dilma Rousseff, que lidera as pesquisas de intenção de voto para o segundo turno da eleição presidencial, também está em vantagem em relação a seu adversário, o tucano José Serra, quando o assunto é a disputa pelos governos estaduais.

Dos 18 governadores eleitos ainda no primeiro turno, em 3 de outubro, 11 apoiam a candidata do PT. Os outros sete estiveram com Serra durante a campanha.

Os aliados de Dilma venceram no Rio, com Sérgio Cabral (PMDB), e em alguns dos principais Estados do Nordeste, como na Bahia, onde o governador Jaques Wagner (PT) foi o mais votado, em Pernambuco, que reelegeu Eduardo Campos (PSB), e em Sergipe, onde o atual governador, Marcelo Déda, também conquistou mais quatro anos de mandato.

Os tucanos, por outro lado, saíram-se melhor em São Paulo e Minas Gerais. Em São Paulo, Geraldo Alckmin retornou ao governo, e em Minas o ganhador foi Antonio Anastasia, sucessor de Aécio Neves. Outro trunfo do grupo de Serra se deu no Paraná, que elegeu Beto Richa, ex-prefeito de Curitiba.

Restam ainda, porém, oito Estados e o Distrito Federal. Nestes locais, a exemplo do que ocorre na disputa presidencial, haverá segundo turno. Se os quadros apontados pelas pesquisas até o momento se concretizarem, Dilma deverá consolidar sua vitória na ?batalha dos governadores?.

Um dos quadros mais favoráveis para o PT é o do Distrito Federal. Lá, o candidato apoiado por Dilma, o ex-ministro do Esporte Agnelo Queiroz, mantém uma dianteira de quase 20 pontos.

Um levantamento do instituto Ibope divulgado no último dia 16 deu a ele 53% das intenções de voto, contra 35% de Weslian Roriz, candidata do PSC.

Em Roraima, o candidato do PP, Neudo Campos, também apoiado por Dilma, está nove pontos à frente do atual governador, José de Anchieta Junior, que é do PSDB. Pesquisa Ibope divulgada no dia 18 mostrou um placar de 50% a 41% a favor de Campos.

No Piauí, o candidato do PSB, Wilson Martins, está à frente do tucano Silvio Mendes. O placar é de 53% a 42% das intenções de voto a favor de Martins, que tenta a reeleição e tem o PT em sua coligação. Os números são de pesquisa Ibope divulgada no dia 15.

Na disputa pelo governo do Amapá, quem conta com o apoio de Dilma e do PT é o candidato do PSB, Camilo Capiberibe.

Ele aparece na primeira colocação em uma pesquisa Ibope divulgada no dia 18, com 50% das intenções de voto. Seu adversário, Lucas Barreto (PTB), tem 43%.

A oposição tem chances de vencer na Paraíba, com Ricardo Coutinho, que é do PSB. Embora nacionalmente integre a chapa de Dilma, o partido se coligou no Estado ao PSDB de José Serra.

Sondagem do instituto Ibope do último dia 15 mostra Coutinho com 52% das intenções de voto, contra 40% de José Maranhão, do PMDB, candidato à reeleição.

Em Alagoas, após um primeiro turno bastante acirrado, que deixou de fora o ex-presidente Fernando Collor (PTB), enfrentam-se agora o tucano Vilela Filho, atual governador, e Ronaldo Lessa, candidato do PDT, que tem o PT em sua coligação.

Números do instituto Ibope divulgados no dia 21 apontaram a liderança de Vilela, com 48% da preferência do eleitorado, contra 40% de Lessa.

No Pará, quem lidera é Simão Jatene, candidato do PSDB. Um levantamento feito pelo Ibope mostra o tucano com 54% das intenções de voto, contra 36% da petista Ana Júlia Carepa, candidata à reeleição.

Em Goiás, a disputa é a mais equilibrada. De acordo com pesquisa Ibope divulgada no último dia 20, o tucano Marconi Perillo tem 48% das intenções de voto, contra 44% do candidato do PMDB, Íris Rezende, que conta com o apoio de Dilma e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No entanto, como a margem de erro da sondagem é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, o quadro apontado configura empate técnico.

Em Rondônia, o candidato do PT, Eduardo Valverde, ficou em terceiro lugar e acabou fora do segundo turno, para o qual avançaram o candidato do PMDB, Confúcio Moura, e o atual governador, João Cahulla, do PPS. O PMDB, no entanto, integra a chapa de Dilma na disputa nacional.

Segundo pesquisa Ibope divulgada no dia 19, Confúcio lidera a disputa, com 52% da preferência do eleitorado, contra 39% de Cahulla.

Fonte: R7, www.r7.com