Senado coloca site no ar para responder reportagens contra presidente José Sarney

O site pode ser acessado em (www.senado.gov.br/comunica/imprensa)

A Secretaria de Imprensa do Senado já colocou no ar a página na internet destinada a responder supostas reportagens desfavoráveis à instituição ou ao presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). ?Nesta página, a Secretaria de Imprensa da Presidência do Senado pretende elucidar fatos e corrigir informações divulgadas pela mídia, sempre que julgar necessário para o devido esclarecimento da opinião pública?, explica o texto de apresentação da página.

Além de apresentar a agenda do presidente do Senado, o site conta com seis canais: "Nota à imprensa, Discursos, Mídia em foco, Reforma do Senado, Atos e ofícios e um Fale conosco". O site pode ser acessado em (www.senado.gov.br/comunica/imprensa).

No campo "Nota à imprensa", o Senado explica a medida judicial adotada por Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, em relação à ao jornal ?Estado de S. Paulo?. A Secretaria de Imprensa do Senado também divulga nota sobre a nova leva de 468 atos secretos da Casa: ?Esclarecimentos sobre a matéria ?Sarney foi avisado em maio de atos secretos, afirma ex-diretor?".

O site ainda disponibiliza uma nota de ?Esclarecimento sobre nomeações que constam nas representações? contra Sarney no Conselho de Ética da Casa.São 11 medidas que já foram rejeitadas pelo presidente do colegiado, Paulo Duque (PMDB-RJ), e devem ser novamente analisadas, por meio de recursos, nesta quarta-feira (19).

No campo de "Discursos", são disponibilizados dois textos de Sarney referentes a agosto: ?Processo Kafkaniano?, lido no plenário do Senado nesta segunda-feira (17), e ?A Defesa?, divulgado por Sarney em 5 de Agosto.

No campo ?Mídia em Foco?, a Secretaria de Imprensa acusa o jornal ?Estado de S. Paulo? de divulgar ?versões falsas em textos sobre Sarney. ?O editorial lança, com base em informações inverídicas, uma bateria de invectivas contra o senador José Sarney. Parte dos ataques visa consolidar a imagem de ?escândalo? em torno da compra de apartamentos em São Paulo. Ora, o próprio senador já confirmou ter adquirido um, na década de 1970; e seu filho, o deputado Sarney Filho, confirmou a aquisição de um segundo, tendo informado por nota oficial que um terceiro - o apartamento 32 -, mencionado na reportagem falha d" OESP, ?não nos pertence?, registra a Secretaria de Imprensa. ?O jornal tenta, assim, pela repetição de versões falsas, criar fatos políticos?, finaliza.

Um dos motivos que levou à ação, segundo a assessoria, é a falta de espaço que teria sido dado pelos veículos de imprensa às respostas da Casa. A assessoria diz que frequentemente encaminha cartas aos jornais que não são publicadas.

Uma possibilidade futura é que as entrevistas de Sarney sejam também publicadas na página, como já acontece no site da Presidência da República com as entrevistas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A ação do Senado lembra a atitude da Petrobras, que passou a publicar perguntas dos jornalistas e comentários sobre reportagens em um blog na internet. A ação da estatal causou polêmica porque as respostas eram divulgadas antes que os veículos que fizeram as perguntas publicassem as reportagens. Posteriormente, a estatal mudou a estratégia e passou a divulgar as respostas no mesmo dia em que as matérias resultantes das perguntas são publicadas.

Fonte: g1, www.g1.com.br