Senado: Requião toma gravador das mãos de jornalista

Requião arrancou o gravador das mãos do repórter da rádio Bandeirantes por volta de 15h

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), minimizou nesta terça-feira (26) o episódio em que o colega de partido dele Roberto Requião (PMDB-PR) tomou o gravador de um jornalista da rádio Bandeirantes dentro do plenário da Casa, apagou a entrevista do aparelho e ainda ameaçou agredir o repórter por conta das perguntas que fez. Para Sarney, ?essas coisas, às vezes, acontecem? e se tratam apenas de uma questão comportamental e não configuram agressão à liberdade de imprensa.

?Acho que é um episódio que poderia não ter acontecido. É uma questão de temperamento, cada um tem o seu, e evidentemente essas coisas às vezes acontecem. O problema de temperamento acho que foi um atrito, mas não tem essa conotação de agressão a liberdade de trabalho e de imprensa, uma vez que é um episódio passageiro?, afirmou Sarney nesta manhã.

Requião arrancou o gravador das mãos do repórter da rádio Bandeirantes por volta de 15h desta segunda-feira (25). Ele não gostou de ser questionado sobre o benefício que recebe por ter sido governador do Paraná e ainda ameaçou agredir o repórter.

?Já pensou em apanhar, rapaz? Já pensou em apanhar? Me dá isso aqui. Não vai desligar mais p... nenhuma. Vou ficar com isso aqui?, disse Requião, que ficou com o gravador e com o cartão de memória do aparelho, só devolvendo os mesmos após ter confiscado a entrevista. Mais tarde, o próprio Requião publicou a gravação em sua página na internet.

Questionado se o ato do colega de partido não poderia representar um constrangimento à Casa, já que Requião ocupa no Senado o posto de presidente da Comissão de Educação, Sarney disse que não iria criticar o colega: ?Não posso emitir conceito de valor contra um colega pelo qual tenho um grande respeito e que tem uma vida pública grande nesse país.?

O presidente do Senado justificou a demora em indicar um corregedor porque, segundo ele, nenhum senador quer o cargo de corregedor porque envolve ?muito trabalho?. Sarney afirmou que deve escolher ainda nesta semana o corregedor da Casa: ?Temos um nome e estamos consultando as lideranças sobre esse nome.?

Ele afirmou ainda que o Senado deve apontar os integrantes do Conselho de Ética nesta terça: ?Vamos votar hoje no plenário o Conselho de Ética. Lideranças demoraram a indicar os nomes.?



Fonte: g1, www.g1.com.br