Senador Mão Santa critica gestão da Petrobrás

Ele destacou que o botijão de gás da Venezuela equivale a R$8,00

O senador Mão Santa (PMDB) declarou que o petróleo brasileiro é o mais caro do mundo destacando que na Venezuela o valor de um tanque cheio de um carro de passeio sai em torno de R$ 5,00, outro exemplo citado pelo senador foi o preço de uma corrida de táxi em Buenos Aires: “um táxi lá parece o valor de um moto-táxi no Piauí. Anda, anda, R$3,00, R$4,00. A gente vê no mundo todo que o combustível é barato”, disse.


Mão Santa questionou o motivo do presidente Lula (PT) não seguir o seu amigo Chaves, presidente da Venezuela. “Eu não sei como o Luiz Inácio tem tanta afinidade, tem tanta admiração sobre o Chaves, por que ele não trouxe isso, a baixa do petróleo? Seria uma boa”.


O senador destacou que o botijão de gás da Venezuela equivale a R$8,00, enquanto no Brasil o preço chega a R$ 40,00 atribuindo a má administração da Petrobrás pela alta do petróleo e seus derivados no país. Para o senador piauiense a Petrobrás está causando prejuízos, lembrando que já fez pronunciamentos sobre a problemática da economia universal e do mundo que se baseava em dinheiro emprestado. Na oportunidade, Mão Santa citou uma matéria da Gazeta Mercantil, que de acordo com o senador discute com seriedade os problemas econômicos analisados por especialistas apontando que o editorial Gazeta Mercantil declarava que “Banco Público não pode ser hospital de estatais”.


O editorial se referia ao empréstimo emergencial de 2,2 bilhões de reais concedido pela Caixa Econômica à Petrobras o que passa a ser um fato preocupante. De acordo com a publicação a maior empresa brasileira não enfrenta qualquer problema de solvência. “Rigorosamente, como se pode ler na página 85 do relatório de informações trimestrais, a justificativa para o pedido de recursos é clara, tem como objetivo reforçar o capital de giro da companhia.


A Caixa Econômica repetiu a explicação assegurando que o empréstimo concedido foi operação comercial comum da linha de capital de giro sem privilégio”, afirmou o senador. Mão Santa citou que a matéria da Gazeta afirma que “essa operação de socorro de um banco público à maior empresa estatal brasileira desperta muitas dúvidas. O primeiro questionamento é a própria autorização dada pelo Conselho Monetário Nacional (CNM) para a operação.


O senador divulgou que Conselho autorizou a estatal a pegar empréstimo no mercado nacional, mas não divulgou o voto. O mercado só tomou conhecimento da autorização, quando o empréstimo foi concedido. Como as demais estatais, a Petrobrás está proibida de levantar recursos no mercado doméstico. “ É uma proibição, o negócio é ilegal, é imoral, se é proibido, é proibido, mas o CMN autorizou a estatal a levantar recursos até R$8 bilhões”, pontuou Mão San

Fonte: Assessoria