Senadores recebem R$ 2,3 milhões sem trabalhar no recesso

Parlamentar ganha até R$ 33,1 mil entre salários e verbas extras durante os 14 dias da pausa

Além do salário de R$ 26.723, os senadores têm direito à verba indenizatória de R$ 15 mil, mais verba de transporte aéreo. Esse total varia de acordo com o Estado e pode chegar a R$ 70.999 (caso do Amazonas). Durante o recesso branco, em julho, os senadores ficaram 14 dias sem ter a obrigação de ir ao Congresso ? e custaram, por essas duas semanas, até R$ 2,321 milhões aos brasileiros. Para o cálculo, consideramos o total a que o parlamentar tem direito por dia e multiplicou por 14.

Wellington Dias (PT), Ciro Nogueira (PP) e João Vicente Claudino (PTB) são os senadores do Piauí no Congresso. Cada um ganha R$ 26.723 de salário mais as verbas para compra de passagem aérea, o que totaliza R$ 65.557 por mês. Durante o recesso branco, R$ 30.593 podem ter chegado aos bolsos dos três parlamentares sem a obrigação de ir ao Congresso.

Os senadores do Acre ? José Aníbal (PT), Jorge Viana (PT) e Sérgio Petecão (PSD) ? têm direito a um total de R$ 65.577 por mês, cada um, incluindo a verba indenizatória, verba de transporte aéreo e o salário de R$ 26.723. Em julho, desse total, R$ 30,6 mil foram destinados ao pagamento dos 14 dias do recesso branco.

Representantes de Alagoas, os senadores Renan Calheiros (PMDB), Benedito de Lira (PP) e Fernando Collor (PTB) tiveram direito a um montante de R$ 28,8 mil, cada um, em julho sem frequentar o Congresso Nacional. No total, por mês, eles podem gastar R$ 61.779 entre salário, verba indenizatória e verba de transporte aéreo.

Alfredo Nascimento (PR), Vanessa Grazziotin (PCdoB) e Eduardo Braga (PMDB) são os representantes do Amazonas no Senado. Cada um deles ganhou R$ 33,1 mil em julho sem a obrigação de ir ao Congresso. Todo mês, eles têm direito a um total de R$ R$ 70.999 de salário mais verbas indenizatória e de transporte aéreo.

AnteriorOs senadores que representam o Amapá são José Sarney (PMDB), Randolfe Rodrigues (PSOL) e João Capiberibe (PSB). Eles têm direito, cada um, a um total de R$ 69.578 por mês, mas, em julho, ganharam R$ 32.469 sem ir ao Congresso. Por dia, eles ganham quase R$ 2.319 entre salários e verbas auxiliares. Vale lembrar que nem sempre os senadores usam todas as verbas.

Os senadores que representam o Amapá são José Sarney (PMDB), Randolfe Rodrigues (PSOL) e João Capiberibe (PSB). Eles têm direito, cada um, a um total de R$ 69.578 por mês, mas, em julho, ganharam R$ 32.469 sem ir ao Congresso. Por dia, eles ganham quase R$ 2.319 entre salários e verbas auxiliares.

Walter Pinheiro (PT), Lídice da Mata (PSB) e João Durval (PDT) são os senadores da Bahia. Cada um pôde usar R$ 28.998 em julho durante o recesso branco. Por dia, no entanto, eles têm direito a um total de R$ 2.071 ? ou a R$ 62.139 por mês ? em salários, verbas indenizatórias e de transporte aéreo.

Os senadores cearenses José Pimentel (PT), Inácio Arruda (PCdoB) e Eunício Oliveira (PMDB) puderam usar mais de R$ 30 mil durante o recesso branco, já que têm direito a um total de R$ 64.909 entre as verbas indenizatória e de transporte aéreo mais o salário.

Fonte: r7