Sérgio Machado gravou também Sarney e Renan Calheiros

Gravações teriam sido feitas em conversas privadas

Pivô da maior polêmica do governo interino do presidente Michel Temer, Sérgio Machado, que divulgou, no domingo (22), um áudio de uma conversa com o ministro do Planejamento, Romero Jucá, em que o mesmo afirma que é preciso "estancar a sangria", em alusão à Operação Lava-Jato, não gravou apenas o ministro, mas também registrou conversas com Renan Calheiros e José Sarney. 

Nos outros dois casos os registros foram feitos em conversas privadas que Machado teve com cada um dos dois, separadamente.

De acordo com o jornalista Mauro Jardim, do jornal O Globo, quem teve acesso aos áudios diz que o que foi revelado hoje em relação a Jucá "não é nada" comparado ao que Renan e Sarney disseram. 

As gravações foram feitas no âmbito da delação premiada que Sérgio Machado está negociando com a Procuradoria-Geral da República desde março. O acordo com a PGR foi selado na semana passada.

Na delação, Machado gravou apenas três políticos: o responsável pela sua indicação para a Transpetro (Renan), Sarney e Jucá. Mas comprometeu outros senadores do PMDB. São eles Jáder Barbalho e Edison Lobão.

Eduardo Cunha, Aécio Neves, José Dirceu e Lula não aparecem nos depoimentos dados por Machado.

A delação de Machado está na mesa do ministro Teori Zavascki, esperando homologação. 


Renan Calheiros e José Sarney (Crédito: O Globo)
Renan Calheiros e José Sarney (Crédito: O Globo)


Fonte: Com informações do O Globo